Anfavea desaconselha adoção do B15

Imagem ilustrativa da notícia: Anfavea desaconselha adoção do B15
CompartilheCombustíveis
15/02/2019

São Paulo – A Anfavea informou ao Ministério de Minas e Energia na quinta-feira, 14, que desaconselha aumentar para 15% o teor do biodiesel no óleo diesel, atualmente em 10%. Segundo comunicado divulgado pela entidade foi apresentado ao ministério um “relatório de consenso”, resultado de ensaios promovidos pelas próprias empresas.

 

Os testes mostraram que, ao usar o B15 na frota atual, os veículos poderão apresentar danos ambientais, aumento de custo operacional para o transportador e impactos para a segurança do veículo. A Anfavea alega que os resultados apresentaram aumento da emissão de NOx, aumento da periodicidade de troca de óleo e filtros, entupimento de filtros e injetores, maior consumo de combustível, desgaste dos componentes do motor, formação de resíduos no combustível e não atendimento à demanda legal para garantia de durabilidade de emissões, previsto no Proconve.

 

A divisão dos testes para as fabricantes foi aprovada pelo próprio MME. Segundo a Anfavea era grande a quantidade de itens a se avaliar e limitada a disponibilidade de combustível – o prazo também era curto, que dificulta ensaios mais complexos de longa direção.

 

“É fato que alguns testes não apresentaram alterações”, disse a Anfavea, no comunicado. “Porém é consenso nas montadoras, e esta questão foi apresentada ao ministério, que caso algum teste apresentasse problemas a indicação da indústria seria para não elevação do teor de biodiesel”.

 

O relatório, agora, está nas mãos do MME.

 

Foto: Divulgação.