CR 7 gera protesto de funcionários da Fiat em Turim

São Paulo - Funcionários da Fiat protestaram em Turim, Itália, após o clube Juventus, de propriedade da família dona da montadora, os Agnelli, anunciar a contratação do jogador Cristiano Ronaldo por 100 milhões de euro. A informação é do site Flash de Motor, de Caracas, Venezuela.

 

Os trabalhadores questionaram a empresa alegando que há tempos não recebem reajuste salarial. E lembraram que a FCA, controladora da Fiat, reserva mais recursos à publicidade e ao clube de futebol do que às necessidades salariais dos funcionários.

 

Gerardo Giannone, que trabalha na empresa há dezoito anos, disse que "com o salário de Cristiano eles poderiam dar um aumento de 200 euro a todos os funcionários".