Sai o acordo com a Colômbia. Enfim.

Imagem ilustrativa da notícia: Sai o acordo com a Colômbia. Enfim.
CompartilheComércio Exterior
08/08/2017

Os governos do Brasil e da Colômbia assinaram na sexta-feira, 21, acordo de complementação econômica que beneficiará as relações de comércio exterior dos dois países, principalmente de veículos e autopeças. Antiga reivindicação da Anfavea o acordo poderá ser fator de incremento de embarques para o mercado colombiano, um dos que mais crescem na América Latina.

Segundo o MDIC o novo acordo ampliará as preferências pactuadas nos setores têxteis e siderúrgicos, permitindo a desgravação total das alíquotas do Imposto de Importação aplicadas a esses segmentos e possibilitará, em breve, a entrada em vigor do acordo automotivo assinado em 2015.

O acordo automotivo, além de zerar alíquotas de importação, prevê a concessão de 100% de preferência para veículos dos dois países, com cotas anuais crescentes. No primeiro ano serão 12 mil unidades, no segundo 25 mil, e a partir do terceiro 50 mil unidades.

Para o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços o acordo automotivo com a Colômbia é de grande importância para a indústria brasileira: “A Colômbia é um excelente mercado para os veículos fabricados no Brasil devido à proximidade geográfica. Todas as empresas instaladas aqui, que possui o maior parque industrial automotivo da América do Sul e um dos maiores do mundo, serão beneficiadas com esse acordo”.

O ministro disse ainda que o acordo também proporcionará maior agilidade nas tomadas de decisão e colaborará para a criação de um novo cenário para as relações econômicas e comerciais na região latino-americana.

Em 2016 as exportações brasileiras para a Colômbia cresceram 5,7% com relação ao ano anterior, passando de US$ 2 bilhões 115 milhões para US$ 2 bilhões 235 milhões. No mesmo período as importações brasileiras da Colômbia diminuíram 23,7%. Assim a balança comercial com a Colômbia resultou em superávit de US$ 1 bilhão 327 milhões para o Brasil em 2016. No ano anterior o superávit foi de US$ 926 milhões.

No ano passado a pauta de exportações brasileiras para a Colômbia foi formada, principalmente, por produtos manufaturados, 88% do total. Os principais produtos brasileiros exportados para a Colômbia em 2016 foram automóveis, 5,5%, óleos brutos de petróleo, 5,5%, polímeros de etileno, propileno e estireno, 4,9%, pneumáticos, 4,5%, preparações para a elaboração de bebidas, 3,6%, produtos laminados planos de ferro ou aços, 3,5%, veículos de carga, 2,7%, medicamentos para medicina humana e veterinária, 2,7%, partes e peças para veículos automóveis e tratores, 2,3%, motores para veículos automóveis e suas partes, 2,1%.