Transformação no mundo dos veículos é a maior da história

Imagem ilustrativa da notícia: Transformação no mundo dos veículos é a maior da história

A indústria passa, nesses nossos dias, por ruptura "fenomenal", e algumas empresas de autopeças tiveram todo o seu processo realmente reinventado, atestou George Rugitsky, country manager da Freudenberg-NOK Sealing Technologies por aqui: "A indústria automotiva está passando pela maior transformação desde a sua criação, e isso se confirma em vários aspectos, como os anúncios das novas tecnologias e os lançamentos de modelos cada vez mais breves”.

 

A empresa começou a investir em eletrificação há quinze anos, ele contou, e mantém parceria com fabricantes de veículos para o desenvolvimento de produtos do futuro com essas empresas: “Estamos trabalhando em conjunto com as montadoras no desenvolvimento de produtos, sendo que cada uma está seguindo o seu próprio caminho”.

 

Um desses investimentos é no gerenciamento térmico do veículo elétrico, porque a bateria gera muito calor, e no abastecimento mais rápido desses modelos. Uma das maneiras de tornar o abastecimento mais rápido é por meio da redução de calor, e a companhia trabalha para vender um sistema de gestão de troca de calor.

 

Outro investimento em novas tecnologias sustentáveis, que atuem para reduzir a emissão de CO2 na atmosfera, é o Levitex, retentor exclusivo de virabrequim lubrificado a ar, que reduz o atrito em até 90% e emissões de CO2 em 0,5-1 g/km, que possui alta capacidade de carga e longa vida útil.

 

O desenvolvimento atende a uma exigência da Comissão Europeia, que colocou a meta de redução geral de emissões para novos carros para 95 g de CO2/km até 2020. Dentre outros fatores perdas de fricção no motor e na unidade de tração devem ser reduzidas para se chegar a este objetivo. Isto inclui o retentor de virabrequim do lado do motor. Nesse cenário existe demanda para o desenvolvimento de uma nova tecnologia que possa reduzir a emissão geral de CO2 de forma sustentável.

 

“Hoje cerca de 10% do nosso faturamento é de produtos que não existiam em nosso portfolio.”

 

PROJEÇÕES – Joint venture pela união da Freudenberg com a NOK, a Freudenberg-NOK Sealing Technologies opera nos mais diversos segmentos, como o automotivo, industrial e de reposição. E é especializada no desenvolvimento e produção de retentores, o-rings, vedações hidráulicas e pneumáticas. A empresa chegou ao Brasil em 1973, com unidade fabril em Diadema, SP, onde emprega cerca de quinhentas pessoas.

 

A projeção de Rugitsky é a de crescimento na produção de veículos, neste ano, semelhante ao que estima a Anfavea, cerca de 13,2%: “O segundo semestre do ano passado foi substancialmente melhor com relação à produção de veículos e o início deste ano também está muito positivo, até um pouco melhor do que o semestre anterior”.

 

De acordo com ele as perspectivas para este ano são positivas e, se nada dramático ocorrer, o ano fechará com crescimento significativo nas vendas e, consequentemente, na produção de veículos.

 

Foto: Divulgação.