Sistemistas acompanham mudanças em caminhões

Imagem ilustrativa da notícia: Sistemistas acompanham mudanças em caminhões

Hannover - Afirmar que esta versão 2018 da IAA, Salão Internacional do Transporte, em Hannover, Alemanha, é o evento do rompimento quase que total com o passado não é nenhum exagero. Pelo que as fabricantes de veículos comerciais estão apresentando a partir do ano que vem os veículos de transporte nunca mais serão os mesmos -- tanto em dirigibilidade quanto na matriz energética. Em resumo, o futuro neste segmento está chegando muito mais rápido do que se esperava. Em breve será normal vermos ônibus trafegando movidos a eletricidade ou caminhões com direção autônoma de nível 2 ou 3, por exemplo.

 

E é óbvio que as grandes empresas produtoras de autopeças e componentes integrados, as sistemistas -- que são as desenvolvedores destes novos equipamentos -- tiveram presença marcante na IAA, ao lado das montadoras que já estão apresentando estes produtos ao grande público. Atentas ao fato de que, em futuro breve, não serão mais simples fabricantes de autopeças ou sistemas, estas empresas estão dedicando grande parte de seu esforço de desenvolvimento para oferecer soluções de tecnologia avançada.

 

Exatamente neste sentido a ZF, por exemplo, que é uma das mais tradicionais sistemistas alemãs e que está presente no Brasil já há 60 anos, apresentou aqui soluções que podem ajudar a tornar os caminhões mais seguros no trafego urbano. Este sistema ZF monitora a lateral completa do veículo e alerta o motorista de forma imediata sobre possíveis riscos, trabalhando com os desafiadores pontos cegos apresentados pelas configurações atuais dos espelhos. Esta tecnologia pode também acionar de maneira efetiva o sistema de direção do veículo e, se necessário, reduzir sua velocidade e até realizar frenagem de emergência.

 

A ZF apresentou também soluções de motores elétricos e de direção autônoma, chegando a realizar demonstrações práticas de como seus sistemas poderão atuar no futuro, principalmente no que se refere a ajudar no transporte dentro de uma grande cidade.

 

A Bosch centrou sua apresentação na eletromobilidade para semirreboques, com um sistema que integra máquina elétrica aos eixos do equipamento e que gera energia suficiente durante a frenagem para alimentá-lo nas suas necessidades de energia. No caso de um reboque refrigerado, a economia em combustível pode chegar a 9 mil litros de diesel por ano com a utilização do sistema.

 

A Eaton, que se apresentou na IAA como empresa líder em gerenciamento de energia, mostrou uma série de soluções de ponta da sua recém-formada unidade de negócios eMobility -- formada por meio da joint venture constituída com a Cummins e que foi batizada de Eaton Cummins Automated Transmission Technologies --, com destaque para os novos sistemas de turbocompressores e uma nova transmissão automatizada desenvolvida especialmente para ser utilizada em veículos elétricos.

 

Foto: Divulgação.