Salão é mesmo dos elétricos

Imagem ilustrativa da notícia: Salão é mesmo dos elétricos
CompartilheSalão do Automóvel
06/11/2018

São Paulo – Passo importante para um eventual processo de eletrificação da frota brasileira de veículos foi dado na terça-feira, 6, o primeiro dia de apresentação das novidades do Salão do Automóvel 2018 à imprensa. General Motors, Nissan e Renault anunciaram a venda, no mercado brasileiro, de automóveis elétricos – ainda importados, é verdade.

 

Logo pela manhã Carlos Zarlenga, presidente da General Motors do Brasil, revelou que em 2019 o Chevrolet Bolt será vendido na rede de concessionárias por R$ 175 mil. À tarde foi a vez de a Nissan oficializar a venda do Leaf, que já rodou em sua geração anterior em frotas de táxis de São Paulo e Rio de Janeiro, RJ, por R$ 178,4 mil. Minutos depois a Renault informou que o Zoe, já vendido para pessoas jurídicas, também será oferecido para o consumidor comum por R$ 149 mil.

 

Nenhuma empresa arriscou estimar volume comercializado para os modelos. A GM, que já trabalha com o poder público para parcerias que visam a criação de infraestrutura para recarga destes modelos – mantém conversas nesse sentido com o Estado do Rio Grande do Sul e, segundo Zarlenga, outros estados e municípios no Brasil e na Argentina – trabalha com a hipótese de que os veículos elétricos sejam produzidos no Brasil nos próximos cinco anos com a chegada dos primeiros modelos e com o amadurecimento do mercado: “Não seria nenhuma surpresa se até 2023 já exista produção de modelos elétricos no Mercosul”.

 

A Nissan espera que boa parte da recarga seja feita na própria residência do motorista. Ao menos foi o que experiência em outros mercados demonstrou, de acordo com o presidente Marco Silva: “A recarga em tomada doméstica demora em torno de oito horas. Enquanto o carro não é usado ele pode ser recarregado”.

 

A autonomia do Leaf varia de 270 a 380 quilômetros, dependendo do uso. Importado do Reino Unido já está em pré-venda e chegará aos primeiros compradores no primeiro semestre do ano que vem: “Acreditamos que até 2025 as vendas de híbridos e elétricos possam representar até 15% do mercado brasileiro”.

 

Luiz Pedrucci, presidente da Renault, contou que o Zoe será vendido em duas concessionárias: a Sinal, em São Paulo, e a Globo, em Curitiba, PR. Produzido na França o modelo será comercializado também pela internet, nos mesmos moldes do Kwid --  “As vendas começam a partir de hoje”.

 

Por ora os veículos 100% elétricos e os híbridos representam fina fatia no mercado nacional de veículos. De janeiro a setembro foram vendidas aqui, de acordo com dados da Anfavea, 2 mil 754 unidades, o que representa 0,2% do mercado total.

 

Colaborou André Barros

 

Fotos: Divulgação.