Foton negocia com rede Ford Caminhões

Imagem ilustrativa da notícia: Foton negocia com rede Ford Caminhões

São Paulo – A Foton Aumark, representante da Foton no Brasil, está negociando com concessionários da Ford Caminhões para montar sua rede no País. Segundo seu diretor comercial, Ricardo Mendonça de Barros, construir rede, neste momento, é mais interessante e estratégico do que tentar fechar negócio para compra da fábrica da Ford de São Bernardo do Campo, SP. Marcio Vita, seu sócio, ainda está na China negociando um novo aporte para Guaíba, RS, para onde está vigente memorando de intenções com o governo do Estado.

 

Mendonça de Barros evitou pormenores a respeito do assunto Ford, mas classifica como “mais provável” que a matriz chinesa siga com o interesse em se instalar na Região Sul. A decisão a respeito da entrada – ou não – no negócio que está sendo conduzido pelo governo do Estado de São Paulo, e que também tem como interessado o Grupo Caoa, será tomada na sexta-feira, 19. Durante sua estadia na China, Vita apresentou ao departamento de fusões e aquisições da Foton o pacote referente à compra da fábrica paulista da Ford.

 

Os termos não teriam agradado, o que levou os executivos da Foton Aumark a crer que o interesse maior dos chineses segue em produzir no Rio Grande do Sul, disse Barros: “Pelo volume necessário para investir em São Bernardo, de forma a entrar no plano estatal de incentivo, para nós seria inviável porque o tempo de payback seria muito longo para uma empresa que está, de certa forma, começando no mercado”.

 

Afora a questão do alto investimento para os padrões da Foton os chineses teriam torcido o nariz para as características da região onde está erguida a fábrica da Ford e para a própria unidade fabril: seu IPTU, por exemplo, o segundo maior da região, foi considerado alto demais. O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, atuante, é considerado um entrave. O terreno, como informou reportagem da AutoData, tem, de fato, problemas. Por fim a Foton não teria como ocupar a linha de automóveis, uma vez que produz apenas veículos comerciais.

 

Apesar de ter sido, em outras palavras, considerado um negócio inviável, o pacote que contém os termos de uma oferta pela fábrica da Ford no ABCD Paulista será levado ao board da companhia, que dará a palavra final a respeito do negócio, disse Barros a AutoData na quarta-feira, 17. Ele contou, ainda, que um trabalho intensivo está sendo feito com a rede de concessionários da Ford Caminhões, que considera estratégica para as pretenções da Foton no mercado interno:

 

“Estamos conversando com os concessionários por meio da sua associação, e também com alguns grupos que administram concessionárias Ford Caminhões, que nos procuraram para saber como pretendemos trabalhar nossa rede a partir do momento em que entrar o capital chines no nosso negócio. O nosso modelo, a princípio, seria o de multimarcas, não de exclusividade, o que os concessionários da Ford Caminhões acharam interessante. Se conseguirmos trazer para nossa rede dez concessionárias será algo importante”.

 

A Foton inaugurou em março uma loja em São Paulo, que, segundo a empresa, faz parte de plano de expansão da rede no Brasil. A companhia pretende abrir mais dez unidades até o fim do ano e encerrar o período com um total de trinta concessionárias. Hoje dispõe de dezenove unidades em onze estados.

 

Uma vez definido o caminho que a Foton seguirá, e se confirmando a intenção da empresa de construir fábrica em Guaíba, matriz e representantes sentarão à mesa para revisar o aporte no País, que inicialmente era de US$ 100 milhões: “Será muito maior do que isso porque a Foton sinalizou que há mudanças no plano inicial, talvez com a adição de mais modelos às linhas”.

 

No Estado a fábrica da Foton tem caminho livre para receber incentivos do Procam/RS, que pretende estimular a indústria local de veículos.

 

Foto: Divulgação.