Automec surpreende setor de reposição

Imagem ilustrativa da notícia: Automec surpreende setor de reposição
Foto Jornalista  André BarrosFoto Jornalista Caio Bednarski

Por André Barros

e Caio Bednarski

CompartilheEvento
25/04/2019

São Paulo – É consenso: a 14ª edição da Automec, que segue até o sábado, 27, no São Paulo Expo, surpreendeu positivamente. Expositores comemoram o alto fluxo de visitantes nos estandes e corredores da feira, indicativo de que o mercado de reposição de autopeças brasileiro passa por um momento de ascensão.

 

Uma grande fila se formou em frente ao pavilhão de exposições nos três primeiros dias de feira antes da entrada do público. Na terça-feira, 23, dia da abertura dos portões, a organização decidiu liberar os visitantes quarenta minutos mais cedo. O trânsito formado na rodovia dos Imigrantes, que dá acesso ao São Paulo Expo, é outro sinal do sucesso de público.

 

“O primeiro dia de feira costuma ser fraco de movimento e a gente até aproveita para conversar com os colegas de outras empresas, nos estandes. Dessa vez não foi possível: a agitação começou logo no primeiro dia”, disse Amaury Oliveira, diretor executivo de aftermarket da Delphi para a América do Sul.

 

Segundo Leandro Mantovani, presidente executivo da Keko, todas as mesas reservadas em seu estande para receber clientes e visitantes interessados estiveram ocupadas nos primeiros dias. “Recebemos mais de dez visitantes simultaneamente. Faltou até gente para atender a demanda”.

 

Além do alto movimento de visitantes brasileiros, Sergio Kremer, diretor de negócios para veículos pesados da Eaton ressaltou a forte presença de estrangeiros no estande. “Veio gente de toda a América do Sul, Europa, Estados Unidos. O movimento está muito acima das outras edições”.

 

O gerente de marketing e aftermarket da Meritor, Luis Marques, aproveita a Automec para buscar negócios que ajudem a alcançar a meta de ampliar a participação no mercado de reposição. “Nosso objetivo é elevar a fatia que hoje é de 12% para 18% no final do ano. O que fazemos na Automec é estreitar as relações com os nossos distribuidores e apresentar as novas tecnologia da companhia”.

 

Segundo o Sindipeças o faturamento do segmento cresceu 13,4% em janeiro e fevereiro, na comparação com o primeiro bimestre do ano passado. A tendência apontada pelos executivos presentes na Automec é de manter esse ritmo de dois dígitos até o fim do ano.

 

Kremer, da Eaton, projetou alta de ao menos 10% nos negócios de reposição, focado no segmento de pesados. “A ideia é crescer acima da média do mercado, então estamos trabalhando forte na expansão do portfólio”.

 

Na ZF, onde o segmento de reposição representou, no ano passado, 20% da receita de R$ 4,3 bilhões na América do Sul, a expectativa é de avançar na casa dos dois dígitos este ano, de acordo com seu diretor de marketing e aftermarket, João Lopes. “O clima desta Automec, com muitos visitantes, é um indicador de que o setor está crescendo”.

 

O vice-presidente de aftermarket automotivo da Schaeffler na América do Sul, Rubens Campos, quer aproveitar o bom momento para ampliar as vendas da empresa. “30% do que é vendido pela Schaeffler na região tem como origem negócios na reposição. A Automec é um evento voltado para o distribuidor e nos cabe sinalizar as tendências para os próximos anos”.

 

Foto: Divulgação.

 

Colaborou Bruno de Oliveira