Governo argentino prorroga incentivos à venda de veículos

Imagem ilustrativa da notícia: Governo argentino prorroga incentivos à venda de veículos

São Paulo – O governo argentino estendeu para este mês, julho, ou até quando os recursos se esgotarem, o plano de incentivos Juni0KM, que dá descontos ao consumidor local na compra de automóveis e comerciais leves zero quilômetro. Sua prorrogação, porém, se deu não pelo sucesso absoluto do plano, mas pelo fato de os recursos alocados pelo governo para o mês passado não terem se esgotado.

 

Segundo a Adefa, associação que representa as empresas fabricantes de veículos que divulgou comunicado sobre a medida, foram reservados para o programa 1 bilhão de pesos, pouco mais de R$ 90 milhões, e, embora o fluxo de consumidores nas concessionárias tenha dobrado, o volume negociado tenha avançado 50% e a média diária subido 48% na comparação com maio, restou dinheiro – o que motivou o Ministério da Produção a prorrogar o plano, agora chamado de Juli0KM.

 

“Levando em conta os bons resultados que a proposta original conquistou com os consumidores decidimos estender o programa para sustentar um mercado que é fundamental no quadro produtivo do nosso país e que gera muito emprego”, afirmou, em nota, o secretário da Indústria, Fernando Grasso. O documento disse, também, que não serão necessários novos aportes: “A extensão do programa utilizará os fundos restantes da cota originalmente estabelecida para junho”.

 

O programa concede descontos de 50 mil a 90 mil pesos – R$ 4,5 mil a R$ 8 mil – na compra de modelos 0KM, produzidos na Argentina ou importados. Há cotas para as fabricantes, que precisam aderir ao plano – todas as montadoras entraram e, segundo a Adefa, seguirão participando durante este mês ou até esgotar o estoque.

 

O presidente da Adefa, Luis Fernando Peláez Gamboa, destacou no comunicado da associação que o trabalho conjunto do setor público e privado está ajudando o setor: “É importante a ampliação do plano, agora Juli0KM, pois foi demonstrado que houve efeito positivo sobre a atividade, que se traduz nos números registrados na primeira fase”.

 

A entidade calcula que a medida do governo deverá incrementar de 10 mil a 12 mil unidades nas vendas do mercado argentino, comparadas com as projeções anteriores à sua criação. Não foi possível, porém, ainda medir seu impacto no mercado, pois há um intervalo de dez a quinze dias da compra até o licenciamento dos veículos – semelhante ao que ocorre no Brasil.

 

Dados divulgados pela Acara, associação que representa as concessionárias da Argentina, mostram que foram licenciados 35 mil 954 veículos em junho, queda de 2,2% na comparação com maio, e de 44,3% com junho de 2018. No primeiro semestre o mercado argentino encolheu 50,4%, para 249 mil 386 unidades – nos primeiros seis meses de 2018 as vendas, lá, superaram as 500 mil unidades.

 

Foto: Divulgação.