Nissan inicia venda do Leaf em clima de cautela

Imagem ilustrativa da notícia: Nissan inicia venda do Leaf em clima de cautela
CompartilheLançamento
18/07/2019

São Paulo - A Nissan iniciou na quinta-feira, 18, a venda regular, aqui, do modelo elétrico Leaf, a mesma versão apresentada pela empresa no Salão do Automóvel de São Paulo, no ano passado. O veículo será vendido em sete dos 183 pontos de venda que compõem a rede de concessionários a R$ 195 mil, com carregador e serviço de instalação incluídos.

 

A montadora vendeu um pequeno volume de Leaf em 2018, em regime de pré-venda. O primeiro lote, importado da Inglaterra, onde é produzido em Sunderland, era formado por vinte unidades, sendo que dezoito foram vendidas no Salão. Desta vez, com o início oficial das vendas em rede, a montadora receberá duzentas unidades até dezembro.

 

Desse volume total já desembarcaram setenta unidades no País, disse o presidente Marco Silva. Ele afirmou que o volume inicial de duzentos carros representa uma visão que considera conservadora diante do mercado doméstico de veículos elétricos: "Ainda não entendemos este mercado. Vamos começar com duzentos, e a expectativa é a de que venderemos pouco menos do que isso. Preço e estrutura ainda é um entrave".

 

Para entender melhor o mercado, como disse o executivo, a Nissan fez levantamento a respeito da opinião dos consumidores brasileiros sobre comprar um veículo elétrico. O que os dados mostraram foi que quase a metade dos entrevistados, 40%, ainda não ouviram falar em carros elétricos e desconhecem seu funcionamento, daí o tom de cautela adotado nas projeções de vendas para o modelo no mercado brasileiro.

 

No entanto, quando perguntados a respeito da possibilidade de comprar um veículo elétrico, 56% dos entrevistados afirmaram que têm esse desejo, apesar do preço e da falta de informação, contou Silva. O executivo disse que a empresa  fará, em outubro, uma espécie de balanço das vendas para, a partir do cenário observado, fazer mais pedidos ou postergar a chegada de novas unidades.

 

De todo modo o mercado que envolve veículos movidos a energia elétrica, total ou parcialmente, cresce, mas a passos lentos, mesmo com maior oferta de veículos, sobretudo após anúncios em massa de novos modelos no Brasil durante o Salão do Automóvel. De acordo com dados da Anfavea até junho foram vendidos no País 2 mil 356 unidades elétricas, automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. O volume representa mais da metade do total vendido no ano passado: 3 mil 970 unidades.

 

Se no Brasil as pretenções da montadora sobre o seu modelo elétrico ainda são modestas no mercado global os números da Nissan são mais representativos. De 2010, quando começou a ser produzido, até março, foram mais de 400 mil unidades Leaf vendidas, já em sua segunda geração, em cinquenta países.

 

O planejamento da matriz, no Japão, é a de vender 1 milhão de unidades de veículos elétricos até 2022, e até lá a oferta da empresa no campo dos elétricos deverá ser composta por vinte modelos. O início das vendas também começou em 18 de julho na Argentina, no Chile e na Colômbia.

 

Foto: Divulgação.