A indústria que invadiu a indústria automotiva

Imagem ilustrativa da notícia: A indústria que invadiu a indústria automotiva
Foto Jornalista  Leandro Alves

Por Leandro Alves

CompartilheTecnologia
08/01/2020

Las Vegas, Nevada – A agitação e a correria das pessoas pelos corredores do pavilhão Norte do Centro de Convenções na terça-feira, 7, dava a impressão de que todos estavam em busca da nova tecnologia do futuro, a nova ideia disruptiva de US$ 1 bilhão. A Consumer Electronics Show, ou CES 2020, maior feira de tecnologia do mundo, é tudo isso e muito mais. A indústria automotiva, por exemplo, invadiu a exposição, ocupando boa parte do pavilhão Norte. Mas outras empresas também estão expondo aqui tecnologias, equipamentos e soluções que antes eram exclusividade das empresas dedicadas apenas ao setor automotivo.

 

A Samsung e a LG, para citar duas conhecidas dos brasileiros, apresentaram aqui cockpits de automóveis com soluções que vão desde o design interior customizado até painéis completos com toda a eletrônica embarcada construída por eles. A Panasonic tem uma divisão, a One Connect, que mostrou um infotainment totalmente conectado: todos os comandos por voz são levados para um ambiente na nuvem e o OEM cliente dessa tecnologia pode ter acesso imediato à forma como o motorista está interagindo com o veículo. E o usuário pode, dentre muitas coisas, pedir para o sistema acionar o vídeo game integrado no painel e, enquanto o veículo está parado, jogar o game Sonic – esta foi a dinâmica e o jogo escolhido durante a demonstração.

 

A divisão One Connect também apresenta aqui na CES uma experiência já em operação de frota conectada com a Troops Motors – uma ilustre desconhecida no mundo automotivo: são pequenos caminhões para percurso urbano totalmente monitorados.

 

A sul-coreana SK Innovation – mais uma ilustre desconhecida no universo automotivo, divisão da empresa química SK – apresentou a evolução da mobilidade do futuro, um projeto completo de veículo que, segundo a exibição, não apenas utilizará novos materiais para aumentar a capacidade de baterias elétricas mas, também, materiais nanotecnológicos para portas e todo o interior do veículo ultraleves e com produção “amigável” com o meio ambiente.

 

É muito provável que as empresas que trabalham com sensores sejam as que mais possuem estandes no pavilhão dedicado à indústria automotiva. Em cada corredor havia ao menos dois, três estandes desses itens, desde os já conhecidos sensores para auxiliar o estacionamento dos veículos até os mais sofisticados, com leitores infravermelho e câmaras inteligentes que monitoram pessoas passando em frente aos carros. Essa tecnologia é impressionante: as câmaras registram até os movimentos dos olhos e são capazes de apontar a direção que a pessoa tomará no próximo passo. Deve ser esse tipo de tecnologia que auxiliará os carros autônomos no futuro.

 

Estes são apenas alguns exemplos somente do lado Norte do pavilhão principal da CES. Além do centro de convenções de Las Vegas a feira ocupa diversos outros espaços na cidade. É praticamente impossível uma pessoa percorrer todos os espaços nos quatro dias do evento. Assim, muitas outras novidades da indústria de tecnologia para a indústria automotiva podem estar escondidas por aqui.

 

Foto: Divulgação CES.