Nova projeção de vendas para o ano

Imagem ilustrativa da notícia: Nova projeção de vendas para o ano
CompartilheBalanço da Anfavea
06/09/2017

O desempenho das vendas de veículos no País foi positivo de janeiro a agosto, apresentando crescimento de 5,3% na comparação com as vendas feitas no mesmo período em 2016. Foram emplacados 1 milhão 420 mil 784 unidades, segundo dados da Anfavea divulgados na quarta-feira, 6. O resultado fez a entidade revisar as projeções para licenciamentos pela segunda vez no ano: a nova expectativa é a de que sejam emplacados 2,2 milhões de veículos este ano, 7,3% a mais do que no ano passado.

 

Uma maior confiança do consumidor, queda da taxa de juros e estratégias comerciais descentralizadas dos grandes centros ajudaram o setor a vender mais em agosto, um mês que, historicamente, costuma apresentar bons números com relação aos demais. A soma desses fatores culminou em 216 mil 534 veículos vendidos no mês passado, o melhor resultado desde dezembro de 2015, como antecipou AutoData. A quantidade de emplacamentos foi 17,8% maior do que em agosto de 2016.

 

Para Antônio Megale, presidente da Anfavea, as empresas têm se esforçado para ampliar o espectro das vendas internas e a estratégia refletiu diretamente no número de estados que tiveram um aumento no volume de emplacamentos: “Gradualmente a média de emplacamentos nos estados está avançando. De janeiro a março três estados aumentaram os emplacamentos. De janeiro a agosto foram 22 estados que registraram aumento no volume de emplacamentos, dos 27 da Federação. O cenário é um indicador de que o consumidor está mais confiante e isso é visto de forma homogênea no País”.

 

Megale disse, também, que as vendas feitas de maneira direta refletiram no volume de emplacamentos de agosto, e que a modalidade de negócio tende a crescer no mercado nacional. Foi, inclusive, responsável pelo aumento da média de vendas diárias registradas no mês passado, coisa de 9 mil unidades/dia, segundo o executivo: “Minas Gerais é um Estado que registrou um número expressivo de vendas diretas. Hoje há muitas empresas que estão terceirizando suas frotas, o uso de locação está crescendo no País e também houve aumento das vendas para pessoa física”.

 

O crescimento nos números de vendas se deu em função dos negócios envolvendo veículos leves: foram 210 mil 142 unidades vendidas em agosto, 17,9% mais do que em agosto de 2016. Dentro do segmento as vendas de automóveis chegaram a 180 mil 903 unidades, 21,5% a mais que no mesmo mês do ano passado. Foram vendidos mais automóveis equipados com motores de cilindrada maior do que 1.0, 116 mil 946, um crescimento de 4,9% com relação a agosto de 2016. Na gama do motor 1.0 foram vendidas 60 mil 968 unidades, 11,2% a mais.

 

Por combustível os flex fuel representaram 88,74% das vendas totais de automóveis, 186 mil 474 unidades. Os movidos a gasolina responderam por fatia de 3,2% das vendas, 6 mil 746 unidades.

 

Ainda sem produção nacional os veículos híbridos vêm apresentando crescimento paulatino, embora tímido, no volume de vendas aqui: representaram fatia de 0,3% do mercado em agosto – nos sete meses anteriores eram 0,1%. Até agosto foram vendidas 2 mil 79 unidades. Em agosto foram emplacadas 627 unidades com motorização híbrida, evolução de 42,7% com relação aos licenciamentos de julho.

 

A General Motors segue como líder do mercado nacional: vendeu até agosto 219 mil 414 unidades, 13% a mais que no mesmo período do ano passado. O grupo FCA, que engloba Fiat e Jeep, vendeu 170 mil 238 unidades, 4,45% a mais. A Volkswagen fecha o grupo das três maiores: vendeu 138 mil 888 veículos de janeiro a agosto, 4 % mais. Na sequência vêm Hyundai, Ford, Toyota, Renault e Honda.

 

O segmento de comerciais leves apresentou crescimento de 1,3% no volume de vendas de janeiro a agosto na comparação com o desempenho do ano passado. Foram emplacados até o fim de agosto 201 mil 862 veículos contra 199 mil 212 de 2016.

 

Foto: Divulgação