Meritor expande oferta para comerciais leves

Imagem ilustrativa da notícia: Meritor expande oferta para comerciais leves

A Meritor anunciou na quarta-feira, 11, a produção nacional de dois modelos de eixos traseiros para aplicação em caminhões leves e semileves. Com essa expansão da oferta a empresa busca ampliar sua participação nos clientes tradicionais e procurar espaço em outros. Ambos os segmentos, caracterizados pelo peso de carga até 9 t, são vistos como promissores no ano que vem em termos de vendas, principalmente após lançamentos recentes de novos modelos de caminhões e micro-ônibus.

 

O mercado de caminhões vem reduzindo suas perdas ao longo do ano e deverá sair do vermelho no ano que vem, segundo estimativas do mercado. Com isso a aposta da Meritor é situar seu portfólio de forma a atender todos os segmentos. De acordo com Adalberto Momi, seu diretor de assuntos corporativos, o segmento de leves era atendido pela companhia com um produto superdimensionado, que requeria a nacionalização de uma nova linha de olho nas oportunidades que, acredita, surgirão em 2018:

 

“Acreditamos que, agora, é o momento de passar mensagem ao mercado: estamos trabalhando no mesmo ritmo que eles para trazer novidades ao País. Os eixos que passamos a produzir aqui são os produtos certos para um segmento que ganhará corpo já no próximo ano e necessitará de uma tecnologia mais atual”.

 

O discurso do executivo está alinhado com o que é possível observar no mercado. Por exemplo: o maior cliente da empresa no Brasil, a MAN Latin America, anunciou recentemente a nova linha de caminhões Delivery, produzida em Resende, RJ, onde, inclusive, a Meritor possui instalações no consórcio modular. A nova versão do leve V260, da JAC Motors, e o ônibus Soulclass, da Iveco, são outras amostras de que há uma certa inclinação do mercado ao investimento no segmento leve.

 

Para Momi o comportamento do mercado de leves tem um ciclo curto de renovação de frotas por causa das severidades impostas aos veículos no ambiente urbano: “Estamos falando de operações que demandam um ritmo alto de trabalho. São caminhões de entregas e ônibus de transporte de passageiros que funcionam todos os dias, 24 horas, em ruas com buracos, sob sol e chuva. A renovação dos veículos é mais rápida. Por isso acreditamos que 2018 será um ano favorável e as fabricantes demandarão soluções atualizadas para aumentar a robustez dos veículos.”

 

Os eixos MS-10X, para veículos comerciais leves com até 9 toneladas de carga, e o MS-11X, para os que comportam até 14, serão fabricados na unidade Meritor de Osasco, SP, e foram desenvolvidos pela equipe de engenharia da empresa na Índia, um dos maiores mercados mundiais de veículos semileves e leves. Alguns itens do conjunto são importados de lá, como o diferencial. Sua nacionalização depende do crescimento do mercado nos próximos anos, informou a companhia.

 

Este ano o setor de caminhões trabalhou para reduzir as perdas das vendas dos últimos anos. No Brasil, em 2017, foram produzidos até setembro 1 mil 870 caminhões semileves, alta de 2,9% na comparação com o volume do mesmo período no ano passado. No período foram produzidos 12 mil 445 caminhões leves, queda de 5,6%. Nos licenciamentos, de janeiro a setembro, foram 2 mil 486 semileves, 6,4% a menos do que no mesmo período de 2016, e 8 mil 96 unidades de leves, 20% a menos.

 

Foto: Divulgação