Cresce faturamento da FCA na América Latina

Imagem ilustrativa da notícia: Cresce faturamento da FCA na América Latina

A FCA registrou faturamento de € 2 bilhões 115 milhões na América Latina no terceiro trimestre, crescimento de 42% frente ao realizado em igual período ano passado. O desempenho positivo na região, segundo a fabricante, se deu em função do volume de exportações dos automóveis fabricados no Brasil para a Argentina e e pelo crescimento das vendas internas ali, onde a empresa deteve 12% do mercado no trimestre. Foram vendidos na região 140 mil veículos Fiat e Jeep, 26% a mais do que no trimestre do ano passado.

 

Na região denominada Nafta, que engloba Canadá, Estados Unidos e México, a receita de julho a setembro chegou a € 16,1 bilhões, a maior receita regional da empresa, ainda que o valor seja menor do que o obtido no mesmo período do ano passado, € 16,8 bilhões. Lá a fabricante atua no mercado com veículos Chrysler, Dodge, Jeep e RAM. Na região foram vendidos 592 mil veículos, volume 6% menor do que o registrado nos mesmos três meses de 2016.

 

No mercado europeu, o segundo mais importante em termos de receita, o faturamento chegou a € 4,9 bilhões, queda de 2%. Lá foram vendidos 285 mil unidades, 3% a menos do que em idêntico período do ano passado.

 

De acordo com balanço divulgado na terça-feira, 24, o desempenho obtido nas principais regiões onde a companhia atua manteve as projeções para sua operação global em 2017. O cenário traçado é de receita de € 115 bilhões a € 120 bilhões e de lucro líquido de cerca de € 3 bilhões. O faturamento total no terceiro trimestre foi de € 26,4 bilhões, queda de 2% na comparação com o obtido no mesmo trimestre de 2016. As vendas totais foram de 1 milhão 51 mil unidades. 

 

Com o fechamento dos números do terceiro trimestre o desempenho da FCA de janeiro a setembro foi positivo em receita e vendas. Nos nove meses a empresa registrou faturamento de € 82 bilhões 58 milhões, crescimento de 1% frente ao obtido no janeiro-setembro de 2016. Nas vendas a alta foi de 2%: 3 milhões 267 mil veículos.

 

Foto: Rafael Neddermeyer