Vendas de caminhões retomam nível de 2015

Imagem ilustrativa da notícia: Vendas de caminhões retomam nível de 2015
CompartilheBalanço da Anfavea
08/11/2017

O mercado de caminhões segue diminuindo as perdas registradas em 2016. Em outubro, o número de emplacamentos foi de 5 mil 29 unidades, volume 10,8% maior na comparação com o desempenho de setembro. As vendas no setor foram as melhores desde outubro de 2015. Embora o cenário tenha sido favorável ao crescimento no período, com Selic menor e a realização da Fenatran, as empresas esperam terminar o ano com vendas no mesmo nível de 2017, na faixa das 50 mil unidades.

 

No acumulado do ano, de janeiro a outubro, os licenciamentos de caminhões chegaram a 40 mil 393 unidades, volume 4,5% menor que o observado em igual período do ano passado. Antônio Megale, presidente da Anfavea, disse na quarta-feira, 8, que o desempenho no segundo semestre foi fundamental para diminuir as perdas, mas que outros fatores precisam ser aplicados para que o desempenho do setor saia do espectro negativo dos gráficos:

 

"Passamos pela primeira vez as cinco mil unidades mensais este ano. A base de comparação é baixa, e ainda estamos em queda, mas bem menor. A taxa de juros está menor, a Fenatran mostrou que o ambiente de negócios melhorou, mas as reformas precisam ser aprovadas, sobretudo a previdenciária, para que o segmento volte a crescer".

 

Luiz Carlos Gomes de Moraes, vice-presidente da entidade, destacou os investimentos anunciados recentemente por algumas montadoras no segmento de veículos comerciais. Segundo Moraes, são indicador que o setor projeta para 2018 um ambiente melhor para as vendas no País: "O telefone voltou a tocar em maio e percebemos que os transportadores estão mais otimistas, tanto que aportes foram anunciados este ano com vistas ao longo prazo".

 

A Mercedes-Benz, maior empresa do mercado em termos de volume de vendas, anunciou em outubro investimento de R$ 2,4 bilhões para os próximos cinco anos para modernização das fábricas de São Bernardo do Campo, SP, e Juiz de Fora, MG. A Iveco, durante a Fenatran, anunciou US$ 120 milhões até 2019 para o desenvolvimento de novos produtos.

 

Analisando as vendas do setor por segmento, todos apresentaram crescimento na comparação com o desempenho de setembro por causa do efeito Fenatran e também devido a negócios pontuais anunciados na virada do semestre e que começaram a ser contabilizados no início do último trimestre do ano.

 

Nos pesados o número de emplacamentos foi de 1 mil 974 unidades em outubro, 14,4% superior ao de setembro e 131,4% maior que o de outubro do ano passado - mês que não contou com o principal evento de veículos comerciais. No acumulado do ano, 14 mil 519 unidades foram licenciadas até outubro, 14,2% mais que no acumulado do ano passado.

 

Em volume, nos pesados, a Mercedes-Benz emplacou 3 mil 964 veículos, 16,6% mais que nos primeiros dez meses de 2016. Desempenho seguido de perto pela Volvo, que emplacou 3 mil 915 unidades, 15,2% mais. A Scania os segue de perto, com 3 mil 654 unidades, número 21,4% mais alto que o do ano passado. A MAN vem na sequência: 1 mil 509 unidades emplacadas, volume 1,2% maior que nos dez meses de 2016.

 

Nos semipesados, foram comercializadas 1 mil 251 unidades em outubro, leve alta de 1,4% na comparação com as vendas feitas em setembro. Na comparação com outubro do ano passado, o crescimento foi de 14,5%. No acumulado do ano, as 10 mil 540 unidades representam uma queda de 12,8%.

 

Tido como mercado promissor para 2018, o segmento de leves emplacou 1 mil 59 unidades em outubro, 9,6% mais que no mês passado e 12,5% mais que em outubro de 2016. No acumulado do ano o volume chegou a 9 mil 155 unidades, 17,3% menos que nos dez meses do ano passado. O vice-presidente da Anfavea associou a retomada das vendas dos veículos dessa categoria ao aquecimento do consumo no País, uma vez que o varejo é quem deve puxar os números do segmento ano que vem:

 

"É um segmento considerado chave pelo setor porque há expectativas em torno da volta do consumo no mercado como um todo, de forma a movimentar a distribuição de produtos no País".

 

Ônibus. No acumulado do ano, os dados da Anfavea apontam que foram emplacadas 9 mil 448 unidades no Brasil até outubro, menos 4,4% na comparação com o desempenho comercial do segmento no ano passado. Na comparação com outubro de 2016, alta de 51,7%.

 

Foto: Divulgação