PIB fica estável no terceiro trimestre com alta de 0,1%

Imagem ilustrativa da notícia: PIB fica estável no terceiro trimestre com alta de 0,1%
CompartilheBalanço
01/12/2017

O Produto Interno Bruto, PIB, ficou estável no terceiro trimestre do ano, com crescimento de apenas 0,1% com relação ao segundo trimestre. Na comparação com o mesmo período do ano passado, houve expansão de 1,4% e no acumulado do ano até setembro o incremento foi de 0,6%, segundo dados divulgados pelo IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, esta sexta-feira, 1. Em valores, o PIB superou R$ 1,6 trilhão.

 

Pelo lado da oferta, a indústria cresceu 0,8% ante o segundo trimestre, sendo impulsionada pelas indústrias de transformação que subiram 1,4% e as extrativas com alta de 0,2%. Amanda Tavares, técnica do IBGE, destacou que outros setores também tiveram participação no aumento: “A indústria automotiva também tem seu peso, assim como máquinas e equipamentos, eletrônicos e informática e a indústria de móveis”. De janeiro a setembro a indústria acumula queda de 0,9%, sendo puxada para baixo por causa do setor de construção civil, que tem queda de 6,1% no período.

 

As exportações aumentaram 4,1% no trimestre: “Dentro do volume vendido para outros países, os destaques foram os produtos agropecuários e a indústria automotiva”. Vale destacar que a indústria automotiva quebrou recorde de vendas externas, com 566 mil unidades exportadas para outros países até setembro, crescendo 55,7% no ano. “No caso dos produtos agropecuários, muitos produtores seguraram as exportações buscando preços melhores ao longo do ano, porém, agora isso não é mais possível e eles estão exportando mais”.

 

O consumo das famílias no terceiro trimestre foi 1,2% maior que nos três meses anteriores, graças a uma conjuntura econômica favorável: “Alguns fatores como liberação do FGTS, redução do endividamento e da inadimplência, mais liberação de crédito para pessoas físicas e juros menores, ajudaram bastante”, avaliou Tavares. A formação bruta de capital fixo, que é medida pelos investimentos em máquinas e construção civil, cresceu 1,6% no trimestre, na comparação com o anterior, graças ao incremento nas importações de 6,6% e pela produção nacional de bens de capital, pois a construção civil acumulado queda e tem registrado desempenho abaixo do esperado.

 

Histórico do ano - No primeiro trimestre do ano o PIB avançou 1% com relação aos três últimos meses de 2016, quando os resultados apresentados ainda eram afetados pela crise. O setor agropecuário foi o grande responsável pelo crescimento no começo do ano, com salto de 13,4% na comparação com o trimestre imediatamente anterior.

 

No segundo trimestre o aumento do PIB foi de 0,2% com relação ao primeiro, que teve crescimento expressivo. Neste período o setor agropecuário se manteve estável e não registrou queda nem aumento.

 

Já neste trimestre, quando o PIB subiu 0,1%, o setor agropecuário registrou queda de 3%, pois algumas plantações como a de soja já tiveram sua colheita e não contribuirão mais para os resultados do ano.

 

Foto: Divulgação.