Vendas de veículos crescem 9% em 2017

Imagem ilustrativa da notícia: Vendas de veículos crescem 9% em 2017

As vendas de veículos novos fecharam 2017 com alta de 9,2% na comparação com o volume vendido em 2016, o melhor resultado dos últimos quatro anos. De acordo com dados da Fenabrave divulgados na quinta-feira, 4, o número de emplacamentos chegou a 2 milhões 239 mil 403 unidades, resultado que, segundo a entidade, foi possível por causa de fatores como aumento da renda, manutenção do emprego em alguns setores da economia e queda na taxa de juros que facilitou os financiamentos.

 

Os números referentes às vendas de automóveis, especificamente, mostram alta de 9,9% nos emplacamentos feitos de janeiro a dezembro. Foram 1 milhão 855 mil 874 veículos licenciados no período. As vendas feitas pelas redes de concessionários alcançaram a maior marca em agosto, quando foram vendidos 180 mil 888 veículos. Em dezembro, segundo melhor mês daquele ano, foram 171 mil 988 unidades.

 

Alarico Assumpção Junior, presidente da entidade, disse que o crescimento, ainda que ocorrido sobre a base pequena que representou o desempenho de 2016, é representativo em função do cenário econômico que incidiu sobre o setor no ano passado: “A rede precisou retomar as vendas ao mesmo tempo em que se ajustava para atender à demanda após a crise que modificou sua estrutura. Foi difícil, mas conseguimos terminar o ano com um saldo positivo”.

 

O balanço apresentado pela Fenabrave mostrou que de 2014 a 2017 o número de concessionárias operando no País caiu de 7 mil 330 lojas para 6 mil 56, o que acarretou numa redução de 169 mil 514 postos de trabalho. Sobre isso, o presidente disse que um processo de reformulação da oferta da rede, afora a demanda desaquecida dos últimos anos, contribuiu para as demissões: “Os grandes grupos tiveram de reduzir o número de lojas e isso redundou sobremaneira no corte de pessoal”.

 

As vendas diretas, modalidade de negócio que tem aumentado sua participação nos últimos anos no setor, representaram, segundo a Fenabrave, 40% do total de emplacamentos feitos ano passado. Para o presidente da entidade, o crescimento verificado se deu em função da redução do mercado como um todo: “As vendas diretas não cresceram. O que houve foi a redução das vendas pelas concessionárias, que aumentou a fatia da sua participação no balanço final do setor”.

 

Projeção – O ano de 2018 projetado pela entidade mostra um mercado maior 10,3% do que o de 2017, com vendas chegando a 3 milhões 437 mil 444 unidades, entre automóveis, pesados e motocicletas, um segmento que entra no balanço da entidade, ao contrário do que acontece nos números divulgados pela Anfavea, a associação das fabricantes. O porcentual projetado é visto como cauteloso em função do ano eleitoral, explicou o presidente da Fenabrave: “O setor não sabe quem governará o País e isso causa um clima de incerteza no momento de planificar as vendas do ano”.

 

Separando por segmentos, as projeções da Fenabrave mostram crescimento de 12,6% nos emplacamentos de automóveis ante o volume de 2017, o que deve representar 2 milhões 88 mil 792 carros em dezembro. Caminhões, alta de 9,5% sobre o ano passado, com emplacamentos chegando a 57 mil 25 unidades. Ônibus, 5,4% mais, com 15 mil 914 unidades. “O panorama traçado leva em consideração a aprovação da reforma da Previdência, esperada para fevereiro, e elevação do PIB”.

 

De acordo com números da consultoria MB, parceira da Fenabrave, o produto interno deverá crescer este ano 3,1% puxado pelo desempenho do setor de mineração, e isso pode influenciar nas vendas de veículos pesados. As demandas do agronegócio, que no ano passado impulsionaram as vendas de máquinas agrícolas principalmente, serão menores do que as de 2017 por causa das toneladas a menos que safra de grãos deste ano deve apresentar, segundo a MB.

 

Pesados – As vendas de veículos pesados em 2017 apresentaram alta de 5% na comparação com os emplacamentos de 2016, chegando a 67 mil 168 unidades. As vendas de caminhões atingiram a marca de 52 mil 69 veículos no ano passado, um crescimento de 3,5% na comparação com o volume vendido em 2016. Alta também nas vendas de ônibus: 15 mil 99 unidades, 10,6% mais que em 2016.

 

Foto: Divulgação.