Produção de veículos cresce 24,6% em janeiro

Imagem ilustrativa da notícia: Produção de veículos cresce 24,6% em janeiro
CompartilheBalanço da Anfavea
06/02/2018

A produção de veículos aumentou 24,6% em janeiro na comparação com o mesmo mês do ano passado, atingindo 216 mil 834 unidades de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. Na comparação com dezembro houve crescimento de 1,5%. Os dados foram divulgados na terça-feira, 6, pela Anfavea. De acordo com presidente da entidade, Antônio Megale, esse foi o melhor resultado para janeiro desde 2014, quando foram produzidas 237 mil 288 unidades: “Considerando a média dos últimos dez anos a média é de 217 mil unidades para janeiro, o que mostra que o mercado está saindo da fase mais regressiva e voltando a crescer”.

 

O destaque para o mês foi o segmento de caminhões, com alta de 57,2% na comparação com janeiro do ano passado. Em relação a dezembro houve queda de 5,3%.

 

Para o vice-presidente da Anfavea Luiz Carlos Moraes o segmento extrapesado continuará forte, devido ao agronegócio, “mas haverá impacto também na distribuição urbana com a recuperação do varejo, que contribui para a venda de outros modelos de caminhões, especialmente os menores”.

 

O setor de máquinas agrícolas sentiu os reflexos da paralisação nos financiamentos e amargou queda de 39,1% nas vendas de janeiro na comparação com o mesmo mês do ano passado e redução de 55,8% quando comparado a dezembro.

 

“O resultado de janeiro mostra que não podemos ter descontinuidade de recursos, pois o ajuste de dias dias no sistema levou à queda que verificamos no mês”, observou Megale. “A expectativa é de recuperação nos próximos meses”.

 

A produção de máquinas agrícolas ficou praticamente estável em dezembro e janeiro, com alta de 0,8%. Na comparação com janeiro do ano passado houve crescimento de 19,3%.

 

Estoque – O estoque, de acordo com Megale, está um pouco elevado, com o equivalente a 38 dias de vendas: “É um estoque elevado, mas não preocupante”.

 

Para ele o ideal são até trinta dias, fábrica e rede de concessionárias.

 

As fábricas têm ociosidade média de 40%. Considerando apenas o setor de caminhões a ociosidade chega a 70% e nos leves é de 37%: “A ociosidade ainda é alta, mas está em queda”.

 

Emprego – No último dia de janeiro eram 128 mil 951 os funcionários das fabricantes de veículos, alta de 0,5% contra dezembro, quando eram 128 mil 275. Com relação a janeiro de 2017 houve aumento de 1,7% no número de trabalhadores, que eram 126 mil 833 pessoas.

 

Note-se, ainda, a redução no número de trabalhadores que fazem parte de algum programa de proteção ao emprego, como lay off ou PSE, Programa Seguro-Emprego. Em janeiro 1 mil 721 trabalhadores integravam algum programa de proteção ao emprego, e em dezembro eram 1 mil 885. DE acordo com Megale “no auge dos programas, em março de 2016, chegamos a ter 38 mil 792 pessoas”.  

 

Foto: Divulgação.