Cummins projeta produção de 85 mil caminhões

Imagem ilustrativa da notícia: Cummins projeta produção de 85 mil caminhões

Após a retomada da indústria automotiva, no segundo semestre do ano passado, empresas, como a Cummins, passaram a acreditar que este ano será a continuação do bom momento, como declarou seu presidente, Luís Pasquotto: “Mesmo com o primeiro semestre muito ruim o desempenho no segundo semestre do ano passado foi bom e acredito que este ano seguiremos na onda de crescimento”.

 

Sobre o futuro da produção de caminhões no Brasil, que chegou a aproximadamente 220 mil unidades em 2011, Pasquotto afirmou que a projeção da Cummins para este ano é de 85 mil unidades produzidas, independente do que será vendido internamente e o que será exportado:

 

“Para o futuro de médio prazo acredito que esse mercado pode chegar a 120 mil, 130 mil caminhões na próxima da década, crescendo de 5% a 10% a partir deste ano”.

 

Com relação à produção de motores Cummins no Brasil a projeção é de 40 mil unidades em 2018, com possibilidade de superação, alta próxima de 30% na comparação com o ano anterior, quando saíram de suas linhas 32 mil unidades: “Estamos otimistas com o mercado atual, mas distantes do pico de produção da empresa alcançado em 2012, com 112 mil motores fabricados”.

 

Para suportar o crescimento esperado no ano a Cummins já começou a contratar -- setenta novos funcionários nos últimos seis meses e um novo grupo que está em processo de admissão: “A expectativa é contratar mais ao longo do ano, mas tudo dependerá do comportamento do mercado".

 

De acordo com Pasquotto os últimos três anos de crise foram os piores da empresa no País e, para superar esse período, e ao mesmo tempo se preparar para a retomada do crescimento, foram tomadas medidas internas focadas na malhoria dos processos de produção: “Usamos esse período para arrumar a casa e estarmos prontos para a retomada do mercado no momento certo”.

 

Vendas Globais

 

A Cummins só releva seus dados e projeções globais e a expectativa para este ano é de vendas crescendo de 4% a 8% em valor com relação aos US$ 20,2 bilhões alcançados no ano passado, seu valor recorde.