BMW produzirá mais um SUV no Brasil

Imagem ilustrativa da notícia: BMW produzirá mais um SUV no Brasil

A BMW anunciou na segunda-feira, 11, a produção -- na fábrica que mantém em Araquari, SC -- da versão topo de linha do X3, SUV produzido aqui desde março. De acordo com a fabricante estão sendo feitos testes de motor e na linha de montagem. A produção está prevista para começar em 18 de junho, com as vendas definidas para o segundo semestre, ainda sem data definida.

 

Com a produção local da versão xDrive X Line, a BMW soma quatro veículos montados no País. Afora as duas versões do X3, compõem a gama de veículos premium da fabricante produzidos aqui os modelos X1, X4 e Série 3. A empresa também comercializa modelos importados no mercado nacional.

 

O novo veículo tem baixo índice de componentes nacionalizados, sendo incorporados à sua construção itens locais como os bancos, pneus e vidros, peças cuja logística é considerada complexa e, por isso, se opta pela produção local em empresas parceiras instaladas aqui.

 

Segundo João Veloso, gerente de comunicações da BMW, desenvolver fornecedores locais é ainda mais complicado no caso da nova versão do X3 pelo fato de o veículo dispor de sistemas eletrônicos sensíveis à direção autônoma: “Por causa do baixo volume surgem entraves ao desenvolvimento de parceiros locais, muitos componentes são importados pois a demanda atual não justifica sua nacionalização”.

 

Dados da Fenabrave mostram que até maio foram emplacados no País 4 mil 320 veículos BMW, o que representa uma fatia de mercado de 0,46%. Seu modelo mais vendido é o X1, que no acumulado do ano teve 1 mil 637 unidades vendidas, vigésimo-primeiro veículo mais vendido no período no concorrido e pulverizado segmento de SUVs.

 

A produção da versão do X3 faz com que a empresa ocupe a capacidade da fábrica de Santa Catarina, sobretudo após deixar de fabricar o X1 para exportação: de 2017 até janeiro esteve vigente contrato que estabelecia a produção no Brasil de um lote de 10 mil unidades para atender ao mercado da América do Norte. Houve outro contrato para mais 2 mil unidades, encerrado no começo do ano.

 

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Araquari o encerramento da produção do X1 tipo exportação promoveu redução de pessoal, pois cerca de duzentos funcionários haviam sido contratados em função da demanda extra. Com o fim do contrato intracompany poucos foram efetivados.

 

A fábrica de Santa Catarina opera em um turno com uma força de trabalho composta por coisa de setecentos funcionários. A chegada da nova versão do X3 nas linhas não altera o quadro nem a jornada, informou Veloso.

 

Ainda segundo o sindicato a produção da fábrica estipulada para o ano, um volume de aproximadamente 15 mil unidades, teve de ser revista para baixo, coisa de 11 mil unidades até dezembro, ainda que o mercado de SUVs tenha crescido acima dos demais segmentos no País nos últimos anos. A razão apontada para justificar a redução é a oscilação do mercado nacional e incertezas geradas pelo adiamento da aprovação do Rota 2030, a nova política industrial para o setor, afora questões macroeconômicas. A fábrica tem capacidade para produzir 32 mil veículos/ano em três turnos.

 

A versão topo de linha do X3 é equipada com o novo motor M Performance, de seis cilindros em linha, de 2 mil 998 cm³, com 360 cv de potência, 54 cv a mais do que o modelo antecessor. Ambas as versões do X3 tem câmbio automático de oito marchas.

 

Foto: Divulgação.