Scania começa a vender linha NGR de caminhões

Imagem ilustrativa da notícia: Scania começa a vender linha NGR de caminhões
CompartilheLançamento
29/10/2018

Guarujá, SP – A Scania escolheu a região de praias de Guarujá, Litoral de São Paulo, para apresentar a nova linha de caminhões que produzirá em São Bernardo do Campo, SP, a partir de janeiro, a NGR. Ao todo passarão pela estrutura montada pela empresa, em hangares adaptados, 4 mil pessoas, dos quais 2,7 mil clientes de toda a América Latina, México incluso. O local consumiu R$ 44 milhões em investimentos e ficará aberto por cinquenta dias.

 

Esta nova geração de caminhões, que a própria Scania considera "a melhor de todos os tempos", marca um novo ciclo da empresa no Brasil e traz o seu maior investimento histórico aqui, R$ 2,6 bilhões, que serão aportados até dezembro de 2020. A expectativa é a de que transformem a de São Bernardo na mais moderna fábrica de caminhões da América Latina.

 

“Um produto premium precisa ser fabricado em uma fábrica premium", festejou o CEO da Scania Latin America, Christopher Podgorski. "A fábrica de São Bernardo do Campo já é a mais moderna da América Latina e é espelho do que a marca é hoje na Europa. E melhorará ainda mais.”

 

Para receber a produção dos novos caminhões NGR a Scania investiu, por exemplo, em unidade de solda de cabines "que representa o estado da arte em indústria 4.0 e impressiona pela tecnologia de ponta". Nesta unidade 75 robôs dividem espaço com as novas linhas de produção e de montagem. 

 

“Estamos um passo à frente da indústria no que se refere à rentabilidade dos negócios dos nossos clientes e da sustentabilidade”, contou Roberto Barral, vice-presidente de operações comerciais no Brasil. “Com estes novos caminhões revolucionaremos o setor de transportes na América Latina.”

 

A nova geração de caminhões que a Scania ofertará ao mercado brasileiro é idêntica à que já coloca à disposição de seus clientes na Europa. As cabines são totalmente novas por dentro e por fora e, somando-se todas as vantagens operacionais, a economia total de diesel gerada poderá ser de até 12%, informa comunicado da empresa. Só os novos motores, "equipados com tecnologia de alta pressão, garantirão até 8% de redução de consumo com relação aos motores atuais".

 

Criada na Europa esta nova geração é resultado de quase dez anos de desenvolvimento e recebeu investimento de cerca de 2 bilhões de euro. No Brasil estão sendo feitos agora os ajustes finais na linha de produção e em todas as estruturas necessárias para iniciar sua produção, que está prevista para os primeiros dias de janeiro, com as primeiras unidades sendo entregues a partir de fevereiro.  

 

Foto: Divulgação.