GM fecha acordo com trabalhadores de SJC

Imagem ilustrativa da notícia: GM fecha acordo com trabalhadores de SJC

São Paulo – Os trabalhadores da fábrica General Motors de São José dos Campos, SP, aprovaram, em assembleia realizada na tarde da quinta-feira, 7, a proposta da companhia para flexibilização dos direitos, considerada um dos pontos fundamentais para a aprovação do novo ciclo de investimento de R$ 10 bilhões de 2020 a 2024.

 

Em nota a companhia afirmou ser “mais um passo para a concretização do plano de viabilidade da GM. As tratativas com os fornecedores, governo e outros interessados continuam de forma diligente”.

 

A proposta foi desenhada após seis rodadas de negociação com o sindicato dos metalúrgicos local – conhecido por, historicamente, endurecer as conversas com a montadora.

 

“Não é o que o sindicato queria, mas respeitamos a vontade dos trabalhadores”, afirmou a Agência AutoData Renato Almeida, vice-presidente da entidade. “Agora cobraremos para que esse investimento bilionário saia do papel.”

 

Em 2013, lembrou Almeida, a GM fez um acordo com o sindicato prometendo a produção de um novo modelo ali. Passados seis anos a fábrica do Vale do Paraíba segue montando apenas a picape S10 e a SUV Traiblazer, sem receber nenhum modelo novo.

 

Segundo dirigente metalúrgico o sindicato conseguiu retirar itens sensíveis da proposta, como terceirização irrestrita e jornada de 44 horas semanais. Das 28 cláusulas apresentadas, apenas dez ficaram no texto final.

 

Almeida disse que o investimento previsto para a unidade chega a R$ 5 bilhões – metade do plano que a GM negocia com os governos e sindicatos de São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Na semana passada a companhia concordou em manter o acordo coletivo vigente até março do ano que vem em Gravataí, RS, enquanto negociará novos pontos com os trabalhadores locais. Resta, agora, fechar acordo com os metalúrgicos de São Caetano do Sul, SP.

 

Foto: Divulgação.