Adefa: produzir na Argentina é mais caro do que no Brasil.

Imagem ilustrativa da notícia: Adefa: produzir na Argentina é mais caro do que no Brasil.
CompartilheComércio Exterior
17/04/2019

São Paulo – Estudo encomendado pela Adefa, a associação das empresas fabricantes de veículos que mantêm produção na Argentina, para a consultoria local Abeceb apontou que produzir veículos naquele país é mais oneroso do que em outros países, como Brasil e México. O custo de produção unitário dos veículos argentinos é, em média, US$ 15,9 mil -- no Brasil o valor cai para US$ 12,7 mil e no México US$ 9,6 mil.

 

O estudo, divulgado pelo jornal local Ámbito Financiero, atenta para o fato de a escala de produção argentina ser inferior às de Brasil e México, que possuem capacidade instalada maior. Ainda assim, no entanto, o país apresenta gargalos logísiticos e econômicos que poderiam, segundo o estudo, reduzir o custo de produção para US$ 14,6 mil. Um valor ainda alto, mas próximo dos níveis medidos nos mercados vizinhos.

 

Afora o cenário o estudo da Adefa – encomendado à consultoria Abeceb – sugere que o mercado argentino precisa se inclinar para as novas tecnologias para sobreviver ao futuro. Em 2030, 22% da receita das fábricas instaladas na Argentina terão como origem os serviços de mobilidade, como locação e compartilhamento de veículos.

 

O estudo também sugere que o futuro da indústria esteja na especialização das linhas de produção. No caso da Argentina, o ideal, no futuro, seria que fosse um polo produtor de picapes híbridas. Também favoreceria a indústria argentina o desenvolvimento interno de novas formas de energia para mobilidade.

 

Foto: Divulgação.