Librelato comemora resultados

Imagem ilustrativa da notícia: Librelato comemora resultados
CompartilheImplementos Rodoviários
22/07/2019

São Paulo, SP – A Librelato vendeu 4,8 mil implementos para o segmento de pesados no primeiro semestre do ano, um crescimento de 61% na comparação com o mesmo período do ano passado. Segundo o presidente José Carlos Sprícigo o resultado consolidado no período é motivo de comemoração: “Depois de anos tão complicados, como foram os últimos para o setor de implementos, registrar uma alta acima de 60% até junho nos deixou muito feliz, assim como pelo desempenho do setor no período. Foi um primeiro semestre digno de placa”.

 

Para ele o período teve uma demanda muito forte por causa da chegada do novo governo, que trouxe mais confiança e ânimo para o mercado, e, junto com isso, ocorreu a renovação de frota que estava represada nos últimos anos por causa da crise, com as empresas esperando tempos melhores para investir: “O tabelamento do frete também trouxe uma movimentação maior para o mercado e essa soma de fatores positivos fez com que empresas investissem em novos caminhões e implementos no primeiro semestre”.

 

No setor de implementos pesados os dois segmentos que demandaram mais implementos da companhia foram o de grãos e o de basculantes, que juntos somaram mais de 50% das vendas -- mas outras áreas também tiveram participação importante: “As vendas de tanques para transporte de líquidos e o segmento florestal também foram importantes para o crescimento no primeiro semestre”.

 

Imagem ilustrativa da notícia: Librelato comemora resultados

 

Para o resto do ano a projeção do executivo é a de que as vendas da empresa fiquem em torno de 8 mil unidades, o que representa alta acima de 50% ante 2018. A receita da Librelato deverá crescer ainda mais, segundo Sprícigo, porque agora os implementos têm que ser vendidos já com os pneus, o que aumenta o preço dos produtos.

 

Com relação ao mercado ele acredita que as vendas de implementos para pesados chegarão a 54 mil unidades, crescendo 20% no ano, com um segundo semestre um pouco mais fraco do que o primeiro. Sprícigo ressalta que uma possível aprovação da reforma da Previdência no segundo semestre poderá trazer um novo ânimo para o mercado e, com isso, impulsionar ainda mais as vendas, superando a projeção da empresa. Mas, independente do que aconteça, o presidente acredita que já é hora de olhar para 2020:

 

“Teremos um segundo semestre bom que poderá ser ainda melhor caso a reforma seja aprovada, mas acho que já é hora de olhar para 2020, começar a nos programar, analisar as previsões de algumas entidades do mercado, avaliar se estão otimistas. Faremos isso a partir de setembro, mas eu projeto que 2020 seja ainda mais forte, entrando de vez na retomada do crescimento”.

 

Exportações em queda - As vendas da Librelato para outros países, mesmo sendo pouco afetadas pela crise na Argentina, que é um mercado pouco acessado por causa do longo prazo de homologação de produtos, deverão cair de 30% a 40%, segundo Sprícigo: “Nossos quatro principais mercados são Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai, que não foram tão bem no primeiro semestre. Até dezembro trabalharemos forte para chegar a US$ 10 milhões exportados, ante os US$ 14 milhões registrados em 2018”.

 

Novas máquinas - A Librelato anunciou no começo do ano investimento de R$ 25 milhões para sua fábrica de Guarulhos, SP, que marcará a chegada, ali, das tecnologias da indústria 4.0. De acordo com o presidente Sprícigo equipamentos como a nova cabine de pintura, os novos robôs, dentre outros, já estão no Brasil: “Esperamos que até outubro tudo já esteja instalado e pronto para operar pois com isso, teremos mais produtividade e qualidade na produção dos nossos implementos”.

 

Fotos: Divulgação.