As medidas que as montadoras tomaram por causa da covid-19

Imagem ilustrativa da notícia: As medidas que as montadoras tomaram por causa da covid-19
Foto Jornalista Redação AutoData

Por Redação AutoData

CompartilheCovid-19
23/03/2020

São Paulo – AutoData reuniu, aqui, as medidas informadas pelas empresas a respeito do Covid-19. Essa página será atualizada conforme novas informações forem divulgadas.

 

Última atualização em 24 de abril, às 16h30.

 

AGCO - As fábricas de Canoas, Ibirubá e Santa Rosa, RS, e Mogi das Cruzes, SP, que produzem máquinas Fendt, GSI, Massey Ferguson, Valtra e Precision Plarting param no início de abril até o dia 16. O centro de distribuição de peças em Jundiaí, SP, segue operação normal, cumprindo os protocolos de saúde.

 

Audi – A operação conjunta com a Volkswagen em São José dos Pinhais, PR, está parada desde 23 de março. As linhas ficarão sem operar, pelo menos, até o fim de abril.

 

BMW – Férias coletivas na fábrica de Araquari, SC, e Manaus, AM, a partir de 30 de março, com retorno previsto em 4 de maio.

 

Caoa – A produção em Jacareí, SP, foi suspensa em 23 de março, a princípio por duas – semanas. Em Anápolis, GO, a produção também foi interrompida em 23 de março e não há prazo estimado para retorno.

 

CNH Industrial – Todas as unidades operam normalmente.

 

DAF – A produção em Ponta Grossa, PR, foi paralisada de 24 de março, atendendo orientação global da Paccar, sua controladora. A retomada das operações, prevista para 6 de abril, foi postergada.

 

FCA – As fábricas de Betim, MG, Campo Largo, PR, e Goiana, PE, reduzem gradualmente a produção até parar, completamente, em 27 de março. Operações programadas para retornar em 21 de abril.

 

Ford – Desde 23 de março as fábrica de Camaçari, BA, Taubaté, SP, e a unidade da Troller em Horizonte, CE, estão sem produzir veículos, motores e componentes. A retomada está prevista para 30 de abril.

 

General Motors – Em 20 de março parou a fábrica de Gravataí, RS, em 23 de março as de Mogi das Cruzes e São Caetano do Sul, SP, o Campo de Provas de Cruz Alta, em Indaiatuba, SP, e a fábrica de motores em Joinville, SC. A unidade de São José dos Campos, SP, parou em 24 de março. O retorno está previsto para junho, pois a companhia acertou a suspensão do contrato de trabalho em todas as unidades.

 

Honda – Trabalhadores das fábricas de automóveis de Itirapina e de Sumaré, SP, entram em férias coletivas em 25 de março com retorno em 28 de abril. A produção de motocicletas em Manaus, AM, está suspensa de 27 de março a 4 de maio.

 

HPE – Linhas que produzem modelos Mitsubishi e Suzuki em Catalão, GO, pararam em 23 de março por sessenta dias, inicialmente.

 

Hyundai – Fábrica de Piracicaba, SP, fechou em 20 de março, após um trabalhador da área de suporte à produção relatar suspeita de Covid-19. Assim permanece até 25 de março, quando os funcionários entram em férias coletivas, programadas inicialmente para vigorar até 13 de abril, mas estendidas por mais duas semanas: retorno, agora, será em 27 de abril. O teste do funcionário deu negativo para o vírus, descartando o risco de contaminação com pessoas que tiveram contato nas últimas semanas.

 

Iveco – Fábrica de Sete Lagoas, MG, começou a parar gradativamente de 25, suspendendo totalmente as operações em 27 de março. Não foi estimado prazo para retorno.

 

Jaguar Land Rover – Produção em Itatiaia, SP, suspensa desde 25 de março.

 

JCB – Operação normal.

 

John Deere – As fábricas de Horizontina e Porto Alegre, RS, pararam em 25 de março. No dia 30, produção interrompida em Indaiatuba, SP, Catalão, GO, Canoas e Montenegro, RS. Não há previsão de retorno.

 

Mercedes-Benz – As operações de Iracemápolis e São Bernardo do Campo, SP, e Juiz de Fora, MG, param em 23 de março. Um dia depois será a vez dos trabalhadores de Campinas, SP. Em 30 de março todos entram em férias coletivas até 19 de abril, com retorno previsto para 22 de abril, a depender da situação. A fabricante, no entanto, prolongou as férias coletivas e estipulou para retorno o dia 4 de maio. Em paralelo, quer conversar com os sindicatos para negociar alternativas durante a parada.

 

Nissan – A produção na fábrica de Resende, RJ, parou em 25 de março. Acertado redução de jornada e salário e retorno dos trabalhadores previsto para 21 de maio.

 

PSA – Produção de modelos Peugeot e Citroën em Porto Real, RJ, interrompida de 23 de março a 31 de maio. No período foram concedidas férias coletivas e redução da jornada e salários.

 

Renault – Os 7,5 mil trabalhadores do Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais, PR, pararam em 25 de março. As férias coletivas prosseguem durante todo o mês de abril, com retorno previsto para 4 de maio, após o feriado de dia do Trabalho.

 

Scania – Férias coletivas aos trabalhadores de São Bernardo do Campo, SP, de 23 de março a 27 de abril.

 

Toyota – Em 24 de março param as fábricas de Indaiatuba, Porto Feliz, São Bernardo do Campo e Sorocaba, SP. Em todas as unidades ficou acertada a suspensão do contrato de trabalho por dois meses, a partir de abril -- retorno só em junho.

 

Volkswagen – Atividades suspensas até o fim de abril nas fábricas de São Bernardo do Campo, São Carlos e Taubaté, SP, e São José dos Pinhais, PR, a partir de 23 de março. Na primeira semana as folgas serão administradas por meio de banco de horas, e nas seguintes passam a vigorar férias coletivas.

 

Volkswagen Caminhões e Ônibus – Produção na fábrica de Resende, RJ, parada de 23 de março a 27 de abril, com férias coletivas e bancos de horas. Após, contratos de trabalho suspensos por sessenta dias para o excedente de produção -- que ainda não foi definido.

 

Volvo – Férias coletivas de quatro semanas aos 3,7 mil funcionários que produzem caminhões, ônibus, motores, transmissões e cabines em Curitiba, PR, a partir de de 30 de março.

 

Yamaha – Atividades fabris no Polo Industrial de Manaus, AM, estão suspensas de 31 de março a 29 de abril.

 

Foto: NIAID.