Mercedes-Benz montará respiradores mais simples em sua fábrica

Imagem ilustrativa da notícia: Mercedes-Benz montará respiradores mais simples em sua fábrica
Foto Jornalista  Caio Bednarski

Por Caio Bednarski

CompartilheCovid-19
16/04/2020

São Paulo – Uma parceria da Mercedes-Benz com o Instituto Mauá de Tecnologia resultou no desenvolvimento de modelo de respirador de baixo custo de produção, que poderá ser montado na fábrica de São Bernardo do Campo, SP. Ele se difere dos ventiladores pulmonares altamente demandados – e que a indústria alegou, ao governador de São Paulo, João Doria, não ter condições de produzir: pode ser usado em unidades semi-intensivas, hospitais e ambulância, mas não é capaz de atender a pacientes na UTI, unidades de tratamento intensivo. A intenção, também, não é obter lucro.

 

Segundo o diretor de engenharia e planejamento industrial, Ricardo Bocciardi, o projeto foi criado pela Mauá: “Nós gostamos e abraçamos a ideia. Trabalhamos juntos para fazer as adaptações necessárias e chegamos a um modelo final".

 

O trabalho agora é conseguir as licenças necessárias para começar a produção, com a expectativa de começar nas próximas duas ou três semanas. Bocciardi disse que a a empresa tem em estoque a maioria dos componentes necessários para a produção, como o motor usado nos vidros elétricos dos veículos – que será responsável por fazer o respirador funcionar:

 

"Outras peças faremos em máquinas de corte a laser e impressoras 3D: são tecnologias da Indústria 4.0 que estamos usando para tornar víavel esse projeto. Graças a isso conseguimos nos adaptar para produzir um produto completamente diferente do que estamos acostumados".

 

Ainda não existe projeção de quantas unidades serão produzidas, mas o projeto ficará aberto para que empresas de outras regiões, e até montadoras, também possam produzir e ajudar na demanda de outros estados. Bocciardi disse que contatos de interessados no projeto já foram feitos, o que é decisivo para aumentar o ritmo de produção. Mas advertiu que ninguém que usar esse projeto poderá ter lucro: o foco é a doação dos respiradores.

 

Inicialmente os respiradores produzidos em São Bernardo do Campo serão entregues às secretarias de saúde das cidades que formam o ABCD paulista, responsáveis pela sua distribuição de acordo com a demanda de cada local. A fábrica da Mercedes-Benz em SBC também será usada para reparar respiradores, em parceria com o Senai: receberá os aparelhos que não estão sendo usados nos hospitais.

 

Foto: Divulgação.