Randon cancela projeções para o ano

Imagem ilustrativa da notícia: Randon cancela projeções para o ano
Foto Jornalista Roberto Hunoff

Por Roberto Hunoff

CompartilheCovid-19
29/04/2020

Caxias do Sul, RS – A Randon Implementos e Participações comunicou ao mercado que cancelou suas projeções financeiras para 2020, divulgadas em 17 de fevereiro por meio de fato relevante. A diretoria estimara receita bruta total de R$ 7,7 bilhões e, líquida, de R$ 5,5 bilhões, com altas de 5% e 8% sobre os resultados consolidados no ano passado.

 

O diretor de relações com investidores, Paulo Prignolato, citou no comunicado que a incerteza, a volatilidade e o rápido alastramento da pandemia da covid-19 nos mercados em que a empresa atua impossibilitam estimar os impactos nas operações para este ano. Também informou que novas projeções serão feitas e publicadas quando o cenário permitir maior clareza sobre o comportamento do mercado.

 

A empresa reiterou, no comunicado, que a saúde e a segurança dos seus empregados e das pessoas das comunidades em que está inserida são sua prioridade. Destacou, ainda, que segue trabalhando para enfrentar o surto pandêmico da melhor maneira possível, próxima aos governos, autoridades locais, comunidades, acionistas e demais stakeholders.

 

No primeiro trimestre de 2020 o conglomerado consolidou receita bruta de quase R$ 1,7 bilhão, com incremento de 2,3% sobre igual período do ano passado. O valor líquido totalizou perto de R$ 1,2 bilhão, com alta de 3%.

 

Já em função da pandemia, março foi marcado por resultados negativos com relação ao mesmo mês de 2019 e na comparação com fevereiro. A receita bruta somou R$ 521 milhões, recuos de 10% sobre março e de 14% diante de fevereiro. A receita líquida alcançou R$ 371,8 milhões, com declínios de 6,9% e 11% nas mesmas bases de comparação. A empresa também alterou a data para divulgação dos resultados consolidados do trimestre, de 12 de maio, inicialmente programada, para 4 de junho. A decisão deve-se, segundo comunicado, às medidas adotadas para redução dos impactos causados pelo novo coronavírus.

 

Foto: Divulgação.