FFTech estuda produção nacional de câmeras automotivas

Imagem ilustrativa da notícia: FFTech estuda produção nacional de câmeras automotivas
Foto Jornalista  Caio Bednarski

Por Caio Bednarski

CompartilheFornecedor
05/05/2020

São Paulo -- A FFTech iniciou a importação e a venda do Mobileye no Brasil, um sistema de câmera da Intel que monitora o percurso do veículo e alerta o motorista sobre diversas situações de trânsito. E já estuda a produção local a partir de 2021, segundo Ubiratan Malumbre, diretor de vendas para o segmento OEM e aftermarket. Em seus cálculos, a nacionalização reduziria os custos em 50%, o que anima bastante:

 

"Estamos trabalhando rapidamente. O plano já está em andamento e, agora, aguardamos que o mercado volte ao normal, depois da pandemia, para que o projeto volte a andar".

 

Para produzir a câmera aqui a empresa precisa de um volume anual considerável, algo em torno de 10 mil unidades, de acordo com Malumbre. O foco está no segmento de veículos leves, no qual a empresa avançou no começo do ano: "FCA, Ford e GM nos procuraram para testar o equipamento. No caso da GM os estudos são para equipar todos os seus veículos no futuro, enquanto a Ford está testando o equipamento na Ranger. A FCA não decidiu ainda se avançará com o projeto, mas tem interesse em iniciar os testes".

 

Malumbre contou que as montadoras ainda estudam a aplicação do sistema nos veículos, que será realizado, sempre, depois de sair da linha de produção, por causa dos custos que ainda são altos. Ele acredita que os negócios avançarão e, no futuro, o equipamento poderá ser até acessório original vendido nas concessionárias. Em outros mercados, como Europa, muitas montadoras já usam o equipamento.

 

 

 

 

Negócios também foram fechados com a Mercedes-Benz e a Volkswagen Caminhões e Ônibus no ano passado, que usaram o equipamento para equipar veículos especiais produzidos para frotistas -- nesse caso o equipamento também é instalado nos veículos depois da produção, em uma área dedicada a adaptações. Grande frotas também estão no radar desde que as vendas começaram no País: "Houve boa aceitação das empresas porque o investimento no equipamento compensa pelo aumento da segurança dos motoristas e dos veículos".

 

Atualmente a empresa também atua no segmento de aftermarket para veículos leves, como distribuidora independente, com técnicos nas principais capitais para realizar a instalação. Neste caso a Mobileye tem custo de, aproximadamente, R$ 4 mil.

 

Trabalhando para fechar negócios para iniciar a produção nacional em 2021, empresa planeja montar um sistema de CKD, desenvolvendo alguns componentes nacionais, como peças injetadas, parafusos e chicotes elétricos, e importando o resto da China. 

 

A câmera da Mobileye trabalha junto com um processador de alta velocidade que processa as imagens, analisa todo o ambiente ao redor do veículo e emite sinais visuais e sonoros de alerta para o motorista, avisando se há risco de colisão com outro automóvel, pedestre, animal ou com algum objeto na via. O equipamento também faz a leitura de placas, alerta sobre o limite de velocidade, faz a leitura das faxias de trânsito e avisa em caso de mudança involuntária.

 

Fotos: Divulgação.