Cresce a demanda por digitalização do pós-venda

Imagem ilustrativa da notícia: Cresce a demanda por digitalização do pós-venda
Foto Jornalista  Caio Bednarski

Por Caio Bednarski

CompartilheTecnologia
02/06/2020

São Paulo – Assim como a área de vendas, a de pós-vendas das concessionárias direciona seus esforços para a digitalização, influenciado, especialmente, pela pandemia de covid-19. É nessa área que os concessionários apostam suas fichas nos próximos meses: como a procura por carros 0KM tende a cair devido à conjuntura econômica, a demanda por manutenção do parque atual deverá crescer.

 

A JJE desenvolveu a plataforma Meu Pós-Venda, responsável por conectar a revenda com o cliente. Ela monitora os clientes cadastrados com base nas revisões programadas dos veículos: caso o cliente não tenha retornado à concessionária, a plataforma entra em contato com ele e pode até seguir com o agendamento deste ou de outro serviço.

 

Durante a pandemia houve um grande número de consultas, informou o CEO da JJE Josiel Denardi. "Liberamos um período de até sessenta dias de testes para revendas interessadas e os resultados foram muito bons. Já temos 45 negociações em andamento e outras dezoito ainda em testes. Fechamos dois grandes contratos nos últimos dias e a nossa meta é aumentar das 75 atuais para 120 concessionárias até dezembro". 

 

Segundo Denardi algumas revendas, em doze meses, já conseguiram trazer de volta às oficinas cerca de seiscentos clientes. Outros tipos de mensagens também podem ser transmitidas pela plataforma, como ações promocionais de vendas e pós-vendas: "O sistema fala com o cliente como se fosse um funcionário, o tratamento é bem real e também permite que o consumidor receba dicas sobre seu veículo e sua manutenção."

 

No segmento de veículos pesados concessionárias com bandeira Iveco e Volkswagen Caminhões e Ônibus utilizam a plataforma. Já no segmento de automóveis e comerciais leves o número de marcas é maior e conta com BMW, Chevrolet, Fiat, Ford, Jaguar, Honda, Hyundai, Land Rover, Mercedes-Benz, Mitsubishi e Toyota, mas uma nova oportunidade despertou o interesse de Denardi: "Queremos entrar na rede Caoa Chery, pois até onde eu sei eles não usam nenhuma tecnologia parecida e é uma marca que está crescendo".

 

A carteira de clientes do Meu Pós-Venda é formada por revendas localizadas nos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. O CEO mira a expansão para outros estados e segmentos: "Queremos o Brasil todo e também queremos exportar a nossa tecnologia, pois temos muito espaço para avançar na América do Sul e já estamos conversando com um grupo do Peru. Também conversamos com concessionários do segmento de motos como Ducati e Triumph, mas ainda não temos nada fechado". 

 

Foto: Divulgação.