Sindicato quer presidentes discutindo questão Ford

São Paulo – O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC quer que o presidente da República, Jair Bolsonaro, inclua em sua pauta de conversas com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a questão da fábrica da Ford em São Bernardo do Campo, SP – a companhia decidiu fechar a operação e deixar de vender caminhões no mercado brasileiro.

 

O pedido foi feito ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Mais, que se reuniu com os sindicalistas na quarta-feira, 13. Também conversou com os metalúrgicos o presidente da Alesp, Assembleia Legislativa de São Paulo, Cauê Macris.

 

Os diretores do sindicato relataram o teor das reuniões aos trabalhadores em assembleia na manhã de quinta-feira, 14, na porta da fábrica – que permanece em greve. O sindicato bate na tecla de que a Ford recebeu muitos incentivos fiscais do governo federal nos últimos anos – nas contas de José Quixabeira de Anchieta, coordenador do comitê sindical da Ford, foram quase R$ 7 bilhões.

 

“Diante disto acreditamos que o governo tem que se envolver, e Maia se comprometeu a avaliar todo o histórico passado”.

 

Os metalúrgicos também foram chamados para participar de uma manifestação na sexta-feira, 15, em frente à Alesp, durante a cerimônia de posse dos novos deputados.

 

Foto: Divulgação.