Receita líquida da Fras-le cresce 39% no jan-mar

Imagem ilustrativa da notícia: Receita líquida da Fras-le cresce 39% no jan-mar

A Fras-le registrou crescimento de 39% em sua receita líquida no primeiro trimestre, somando R$ 246,6 milhões, informou a empresa em balanço financeiro divulgado na noite de quarta-feira, 9. O lucro evoluiu 61,2% no período, para R$ 62,8 milhões, puxado pelas recentes aquisições ou constituições de novas empresas, como a Jurid, em Sorocaba, SP, ASK Fras-le, na Índia, Armetal e Farloc, na Argentina, e Fanacif, no Uruguai.

 

A aquisição da Jurid, em especial, gerou ganho de R$ 52,5 milhões no resultado operacional. Com isso o EBITDA, lucro antes dos impostos, chegou a R$ 80,7 milhões, observou a Fras-le no comunicado.

 

Sérgio Carvalho, diretor presidente da empresa, disse que a Fras-le segue atenta a oportunidades de aquisições de empresas no mundo. Atualmente, segundo ele, as operações externas representam 53% dos negócios da companhia.

 

“Tem sido recorrente na estratégia da companhia a busca por expansão, fortalecimento de posição de mercado, robustez na rentabilidade e internacionalização, por meio de ações que se mostraram eficientes.”

 

As recentes aquisições mexeram na composição do portfólio Fras-le. O grupo de materiais de fricção segue com a maior fatia, compondo 80,7% da receita liquida, mas dentro dele ganhou espaço o segmento de pastilhas de frio, com 7,7 milhões de peças comercializadas – e segundo produto mais vendido pela Fras-le no trimestre, atrás apenas de lonas de freios para veículos comerciais.

 

As exportações a partir do Brasil somaram US$ 18,8 milhões no primeiro trimestre, evolução de 28,8% sobre o mesmo período de 2017, com grande aumento nas compras de clientes dos Estados Unidos e México. Segundo a empresa a carteira de pedidos da Argentina fechou março em alta, o que indica demanda forte nos próximos meses. A companhia também tem conseguido conquistar novos negócios no Oriente Médio, fato importante para o horizonte de crescimento no médio prazo.

 

Já o faturamento em moeda estrangeira chegou a US$ 40,2 milhões, reflexo dos fatores que influenciaram as exportações e a soma do desempenho das controladas adquiridas fora do Brasil -- Armetal, Farloc, Fanacif e ASK Fras-le.

 

Foto: Divulgação.