Justiça concede resgate judicial da Keko

Imagem ilustrativa da notícia: Justiça concede resgate judicial da Keko
CompartilheFornecedor
12/09/2018

Flores da Cunha, RS - A diretoria da Keko Acessórios protocolou, na sexta-feira, 6, no Fórum de Flores da Cunha, RS, pedido de recuperação judicial. Em nota liberada na tarde da quarta-feira, 12, diz que a decisão foi tomada após não obter êxito em várias alternativas de renegociações com bancos a fim de sanar o seu passivo no curto prazo: “Estas dívidas vinham inviabilizando a gestão adequada do caixa e o cumprimento das obrigações com os demais credores”.

 

No fim da tarde o juiz substituto de Antônio Prado, Nilton Filomena, concedeu despacho favorável ao pedido. A partir de agora a empresa tem dois meses para apresentar um plano de recuperação, que será analisado, no prazo de até trinta dias, pelos credores – instituições financeiras são a maioria. De acordo com o advogado João Pedro Scalzilli, que trabalhou no encaminhamento do processo, a dívida estimada da empresa é de R$ 75 milhões.

 

A medida judicial é justificada, pela empresa, como necessária para a sua reorganização, para dar sustentabilidade e viabilidade ao negócio e para preservar o quadro funcional, hoje de 420 empregados diretos. Segundo a nota as causas que levaram ao pedido foram os quatro anos de instabilidade econômica, a forte retração do mercado automotivo e os altos investimentos alocados na sua nova fábrica, grande parte financiada: “A empresa investiu muito em planta fabril e equipamentos, acreditando num mercado crescente, que não se confirmou. Ao contrário, caiu drasticamente”.

 

A nota assegura que o quadro de pessoal não será reduzido, nem é intenção fazer alguma venda de ativo: “A Keko é uma empresa moderna, muito bem administrada, que tem plenas condições de recuperar-se rapidamente”.

 

A direção assegurou que, apesar do endividamento financeiro, a empresa mantém a operação estável, está preparada para crescer e vem mantendo o faturamento estável desde 2015 – a estimativa para este ano é de R$ 150 milhões. Ressaltou dispor de base sólida de clientes e carteira de pedidos em crescimento. Além de atender ao aftermaket é fornecedora homologada de doze montadoras e exporta para 42 países:

 

“Acreditamos que a recuperação judicial permitirá focar na melhoria da capacidade de fornecimento e na manutenção da perspectiva de crescimento sustentável para os próximos anos. Temos confiança em nossa capacidade de inovação e na retomada do mercado automotivo e da economia brasileira”. 

 

Foto: Julio Soares/Divulgação.