Toyota quer exportar Yaris para diferentes mercados

Imagem ilustrativa da notícia: Toyota quer exportar Yaris para diferentes mercados
CompartilheSalão do Automóvel
06/11/2018

São Paulo – A Toyota prepara a entrada do Yaris, produzido em Sorocaba, SP, em outros mercados na América do Sul para compensar as perdas de volume que teve na Argentina.  Com esse cenário será possível sustentar o terceiro turno aberto nas fábricas de Sorocaba e Porto Feliz, SP.

 

O presidente Rafael Chang evitou informar para quais países a montadora articula a exportação do Yaris. Sinalizou, porém, que os embarques devem acontecer para aqueles já atendidos pela empresa com os modelos Etios e Corolla: “Será exportado naturalmente para onde os demais modelos que produzimos o são, como Chile, Colômbia, Peru e Paraguai. Há demanda reprimida também no Brasil, e com isso esperamos poder equilibrar a produção e sustentar o terceiro turno”.

 

A empresa verificou ao longo do ano que precisava produzir 9 mil unidades a mais para poder atender a demanda dentro e fora do País, e por isto recorreu à abertura do terceiro turno. Embora a possibilidade de produzir mais resolva a equação da Toyota, trabalhar próximo ao limite é algo visto como delicado. De acordo com o vice-presidente Miguel Fonseca esta é a quarta vez que a companhia opera com três turnos no mundo:

 

“Afora este caso brasileiro houve um terceiro turno nos Estados Unidos, na Turquia e no Japão. Vemos a situação como algo delicado porque, com a produção máxima, aumentam também as atenções nos processos de qualidade, por exemplo. Não faz parte da cultura da companhia e é algo praticado agora para poder atender aos clientes”.

 

O executivo disse que sem o terceiro turno aumentariam os prazos de entregas dos veículos na rede de concessionários, o que poderia acarretar fuga de clientes para os concorrentes: “Percebemos justamente o contrário depois do lançamento do Yaris. Conseguimos, com ele, atrair as atenções de clientes cativos de outras marcas para o nosso produto. Se não aumentássemos o volume de produção o movimento seria justamente o contrário por causa de eventuais atrasos”.

 

Na Argentina a Toyota observou queda de 15% nas vendas e, segundo Fonseca, o mercado recuou 40%. Ainda assim a empresa projeta um 2019 de recuperação ali, onde, desde maio, o Etios hatch é o modelo mais vendido. Para Daniel Herrero, presidente da Toyota Argentina, a produção no país, pelo menos por ora, está estabilizada: “Atendemos muito bem o mercado brasileiro com as picapes, é um segmento em crescimento que nos mantém produzindo da mesma forma que antes da crise”.

 

Na terça-feira, 6, durante o Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, a Toyota apresentou nova versão da picape Hilux, a GRS. O modelo é produzido na fábrica de Zárate, Argentina, e foi desenvolvido pelo braço de competição da empresa, o Gazoo Racing. Foram apresentadas também duas versões do Yaris, a GRS, esportiva, e a X Way, aventureira.

 

Foto: Divulgação.