Kroschu passa a integrar o Consórcio Modular VWCO

Imagem ilustrativa da notícia: Kroschu passa a integrar o Consórcio Modular VWCO

São Paulo – A Volkswagen Caminhões e Ônibus promoveu mudanças no grupo de fornecedores instalados no condomínio industrial de Resende, RJ. A Continental Automotive deixou de compor o quadro de fornecedores que integram o consórcio modular, onde atuava desde 1997 na linha de montagem de cabines, para dar lugar à Kroschu, empresa com sede na Alemanha e que possui operações em São Paulo e em Minas Gerais. A transição, segundo apurou a Agência AutoData, começou no segundo semestre do ano passado, com entrada em operação em 2 de janeiro.

 

Na Continental trabalhavam 280 funcionários. Destes, cinquenta teriam sido recontratados pela Kroschu, com a possibilidade, segundo a empresa, de os demais trabalhadores também serem incorporados ao quadro da fabricante no futuro. Mas a VWCO informou, via comunicado, que a mudança de parceiro no Consórcio Modular de Resende "não gerou impactos no quadro de pessoal. Foram seis meses de cuidadosa transição e, desde 2 de janeiro, os colaboradores integram o time da Kroschu".

 

A Continental deixa de ser um fornecedor interno, mas segue como responsável pela produção de componentes para painel dos caminhões e ônibus VWCO via fábrica de Guarulhos, SP. Este é o segundo caso em que a fabricante deixa de ser fornecedora interna: no ano passado, a companhia foi substituída pela Reydel no condomínio industrial da General Motors em Gravataí, RS, onde fornecia componentes para painel e acabamento interno dos automóveis Chevrolet.

 

A Kroschu, forma abreviada de Kromberg & Schubert, mantém produção em quarenta países e possui um quadro de 50 mil funcionários. Além de sistemas elétricos para veículos também produz plásticos para aplicação industrial. A companhia passa a integrar o consórcio modular de Resende no momento em que a VWCO planeja voos maiores nos mercados interno e externo – com a retomada das vendas, a montadora foi ocupando a fábrica de forma paulatina até que, em outubro, anunciou a abertura do segundo turno parcial. A jornada extra levou a companhia a contratar 350 funcionários.

 

De acordo com dados divulgados pela Anfavea, a fabricante encerrou o ano passado com 20 mil 242 unidades licenciadas, um volume que representa crescimento de 42,5% na comparação com as vendas efetuadas em 2017. No período, a companhia liderou as vendas nos segmentos de semipesados, médios e leves. Nos semileves e nos pesados, segmento que sustentou as vendas de caminhões nos últimos anos em função das demandas do agronegócio, a empresa ficou atrás da Mercedes-Benz em volume de vendas. A M-B também terminou à frente da companhia nas vendas de ônibus.

 

Foto: Divulgação.