Tungsram volta ao Brasil para conquistar 10% do aftermarket

Imagem ilustrativa da notícia: Tungsram volta ao Brasil para conquistar 10% do aftermarket
CompartilheFornecedor
01/04/2019

São Paulo – Após ter operado no mercado brasileiro por um curto período, na década de 1990, a fabricante de lâmpadas Tungsram retorna ao País por meio da BRLight e GLA, representantes que assumem a importação dos produtos a partir de fábricas na Hungria. A meta traçada pelo diretor da GLA Paulo Moscatelli é conquistar até 10% de participação no mercado de reposição.

 

“Essa é a nossa meta para três anos, no máximo, com participação mínima de 8%”.

 

A decisão de voltar ao Brasil foi tomada após a empresa adquirir as duas fábricas que pertenciam à GE, no ano passado: “A empresa está com uma nova visão de negócios, com investimentos previstos tanto em produtos quanto em processos produtivos para tornar global a marca Tungsram. Para isso também aplicará em marketing em todos os mercados em que já atua com a marca GE”.

 

O lançamento dos produtos será feito durante a Automec, na última semana de abril, e as lojas passarão a receber as lâmpadas até o fim do primeiro semestre.

 

Caso a projeção seja alcançada a BRLight e a GLA dobrarão sua participação no mercado: as duas distribuidoras representam a divisão de lâmpadas da GE, que já possui fatia de 10% do mercado de reposição brasileiro. Segundo Moscatelli o retorno da empresa ao mercado brasileiro acontece após a modernização de suas fábricas, com investimento em novas máquinas e em melhorias nos processos produtivos.

 

Imagem ilustrativa da notícia: Tungsram volta ao Brasil para conquistar 10% do aftermarket

 

Mario Morelli, diretor da BRLight, disse que a Tungsram já é muito forte em mercados como Europa, Ásia e Oriente Médio: “A empresa também dispõe de grande participação no mercado de reposição do Chile e da Colômbia. No Chile a fatia chega a ser superior à da GE”.

 

A empresa também pretende atuar no segmento OEM e já mantém conversas avançadas com algumas montadoras, observou Moscatelli: “Esse é um mercado novo para a Tungsram, principalmente no Brasil, mas já temos conversas avançadas com a PSA e com a Toyota. Acreditamos que o fornecimento deve começar nos próximos meses. Estamos em processo final de validação da nova marca com as montadoras e, no segundo semestre, queremos avançar nas negociações com outras companhias”.

 

A Tungsram acredita que o segmento de reposição de lâmpadas automotivas cresça de 10% a 15% no ano em função da recuperação da economia. Para atingir essa projeção seu portfólio será composto por lâmpadas para faróis, lanternas, setas e iluminação interna: “Também teremos produtos da linha premium, com melhor visibilidade para o motorista, assim como maior luminosidade e vida útil”.

 

A BRLight será responsável por distribuir os produtos nas regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e nos estados do Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. A GLA atenderá a região Sul e o Estado de São Paulo.

 

Sobre uma possível concorrência pelos produtos das duas marcas Moscatelli disse que, embora os posicionamentos sejam parecidos, a intenção é fazer algumas ações promocionais para promover a Tungsram e colocar preço um pouco mais baixo do que o das lâmpadas GE.

Foto: Divulgação.