Ford mostra sua Ranger 2020

Imagem ilustrativa da notícia: Ford mostra sua Ranger 2020

Mendoza, Argentina – O consumidor disse que queria, na sua picape, uma tampa traseira que não simplesmente despencasse, e declarou que aprovava a garantia de cinco anos e afirmou ser fã de tudo aquilo que cheirasse a tecnologia. A empresa garante que entendeu os resultados de sua pesquisa e produziu a Ranger 2020, diesel dedicada, que chegará às concessionárias em agosto pelos mesmos preços vigentes, hoje, para cada uma de suas versões 2019.

 

O presidente para a América do Sul, Lyle Watters, afirmou que a Ranger 2020 sintetiza a “busca por outras experiências para nossos clientes, que criará mais fidelidade e mais longa vida para nossos negócios”. Ele recordou que, no decurso dos últimos sete anos, no Brasil, as vendas da picape cresceram 70% e que a Ranger é herdeira do DNA da Série F, a mais vendida nos Estados Unidos há 42 anos.

 

Mais do que isto ele realçou o papel dos processos de desenvolvimento global de produtos pela Ford: “Vivemos sinergias jamais vistas antes”. Ele não disse mas é razoável supor que diria, se já pudesse, que esta Ranger já contém alguns atributos que abrilhantarão veículos que já estão sendo gerados agora pelo acordo assinado com a Volkswagen em janeiro, para veículos comerciais.

 

Estas sinergias envolvem as áreas de marketing, de engenharia e de design de filiais espalhadas pelo mundo “para entregar o melhor produto ao consumidor em mais de 190 países”. Participaram equipes do Brasil, da Argentina, da África do Sul, da Tailândia, da Alemanha, da Inglaterra e dos Estados Unidos.

 

Certamente o cliente comprador de picapes gostará de uma dotada de assistente de abertura e fechamento da tampa da caçamba e de sistema de frenagem autônoma que detecta pedestres e de sistema que reconhece sinais de trânsito – e de piloto automático adaptativo e de sistema de permanência em faixa.

 

Maurício Grecco, do marketing da América do Sul, citou 1 milhão de unidades de picapes Ford vendidas, em todo o mundo, no ano passado, para destacar que o DNA Raça Forte – marca da campanha publicitária da Ranger 2020 – “é reconhecido pelo consumidor”. Mostrou filmes da campanha e nem comentou o bom gosto de ter música de Vivaldi como trilha sonora de uma aventura picapeira.

 

“Com a Ranger nossa proposta para nossos consumidores é uma proposta de valor, pois estamos pelo menos três anos à frente da concorrência.”

 

Gilmar de Paula, que é o engenheiro chefe da plataforma Ranger para a América do Sul, lembrou que esta é a primeira grande atualização da picape desde 2016, que demandou, por exemplo, 1,7 milhão de quilômetros rodados em testes, coisa de pouco mais de 15 mil horas de rodagem.

 

Ele apresentou características exclusivas, e outras superiores, do produto, como capacidade de imersão de 80 cm, sistema anticapotamento, controle adaptativo de de carga, sistema de permanência na faixa, piloto automático adaptativo, direção elétrica, controle de oscilação de reboque, diferencial blocante.

 

Ele observou, também, que “mais de seiscentas peças do modelo anterior foram redesenhadas pelos fornecedores, quarenta na região, visando ao melhor desempenho e ao menor gasto de combustível”.

 

Para andar – A supervisora de design para a América do Sul, Adélia Afonso, disse que “a Ford que vender emoção forte, e que a Ranger é uma síntese desta ideia”. Ela resumiu a emoção forte na nova grade frontal trapezoidal com base horizontal que traz o logotipo Ford e a sua conexão às laterais.

 

Esta emoção forte é  apresentada em cinco versões que utilizam motor 2.2, Duratorq, de 160 cv nas XLS 4x2 AT, 4x4 MT e 4x4 AT, e o 3.2, de 200 cv e também Duratorq, para as XLT e Limited, sempre 4x4 AT – MT, naturalmente, refere-se a câmbio manual, e AT a automático. Seus preços são, respectivamente, R$ 128 mil 250, R$ 147 mil 520, R$ 154 mil 610, R$ 176 mil 420 e R$ 188 mil 990.

 

Visando ao conforto, à dirigibilidade e à segurança a Ranger 2020 ganhou nova suspensão.

 

Fabrizzia Borsari, de marketing de produto, mostrou a antiga ligação de picapes com o mundo do agronegócio, particularmente no Brasil, onde os consumidores dessa classe conhecem tecnologia a fundo em função da própria evolução de sua atividade. E expôs pesquisa que demonstra crescimento de 68% para 85% nas opiniões favoráveis à compra de uma Ranger no período 2010-2018.

 

Citou, também, valores agregados às Ranger diante de suas concorrentes, que implicam até R$ 10 mil em equipamentos, e seguro exclusivo para as picapes operados pela Mapfre e pacotes de revisões, programadas ou não, é para eventuais acidentes.

 

Antônio Baltar, de vendas, marketing e serviços para o Brasil, retomou a ideia da proposta de valor aos clientes, que passa pelo pós-vendas, pela manutenção e pelo valor de revenda.

 

Em 2018 a Ranger foi a segunda picape média mais vendida na América do Sul. 

 

Foto: Divulgação.