ArcelorMittal avança na reciclagem de veículos

Imagem ilustrativa da notícia: ArcelorMittal avança na reciclagem de veículos
Foto Jornalista Caio Bednarski

Por Caio Bednarski

CompartilheMeio Ambiente
22/11/2019

São Paulo – A ArcelorMittal encomendou da JR Diesel, empresa que atua no desmonte de veículos em São Paulo, SP, 57 carcaças de ônibus que resultaram na reciclagem de 1,1 mil tonelada de aço – que, agora, retorna ao mercado. Foi a primeira compra de sucata em larga escala pela siderúrgica, que já recebe sondagens de outras empresas interessadas no negócio.

 

“Grandes produtoras de carrocerias e empresas que possuem ônibus antigos parados passaram a nos procurar para fechar algum negócio do tipo”, disse Bernardo Vasconcellos, gerente geral de estratégia e inteligência de mercado de metálicos da ArcelorMittal Aços Longos, área responsável pela compra de matérias-primas. “A ideia é retirar esses veículos, hoje parados em pátios, e fazer o descarte ambiental correto.”

 

A JR Diesel fez todo o desmonte do ônibus, revendeu as peças que poderiam retornar ao mercado e cortou a carcaça para facilitar a entrega para a ArcelorMittal. Vasconcellos calcula que há um potencial de 2,5 mil ônibus que deixarão de operar nos próximos anos apenas em São Paulo, caso seja aprovada a proibição da circulação de modelos fabricados até 2007.

 

“As operadoras terão que fazer o descarte correto desses veículos. A parceria com a JR Diesel nos permite negociar com essas empresas, pois a parte de peças interessa para um, a carcaça para o outro e saída de um veículo parado do pátio também beneficia a operadora de transporte."

 

Para Arthur Rufino, CEO da JR Diesel, trata-se de um negócio que todos ganham: "Fechamos essa parceria com a ArcelorMittal de maneira ágil, flexível, transparente e desburocratizada. A ideia é transformar radicalmente o mercado de desmonte de veículos, venda de peças e produção de sucata, respeitando o que hoje prevê a legislação".

 

Vasconcellos admite que este ainda é, no Brasil, um mercado pequeno mas com tendência de crescimento, considerando que, junto com os ônibus, também existem muitos automóveis parados nos pátios e que deverão ser descartados corretamente em algum momento. Atualmente alguns órgãos públicos promovem leilões de veículos que não podem voltar ao mercado e devem ser destruídos e depois reciclados, garantindo o seu fim de vida.

 

"Até agora não tivemos que fazer nenhum investimento em nossas plantas. Mas se esse mercado crescer como ocorre em outros países teremos que investir em equipamentos para processamento e máquinas para descontaminação dos veículos".

 

Para a ArcelorMittal junto com as novas oportunidades de negócios existe a maior oferta de matéria-prima. A companhia compra a sucata industrial gerada ao longo do processo produtivo e, agora, também compra em grande escala veículos em final de vida útil para produzir aço novamente:

 

"Não temos sucata suficiente no Brasil para usar como matéria-prima e antes dessa parceria os veículos não chegavam até nós. Outro ponto positivo é que eles recebem o descarte correto, voltando ao mercado depois de reciclados."

 

Foto: Divulgação.