BNDES solicita descredenciamento do Rota 2030

Imagem ilustrativa da notícia: BNDES solicita descredenciamento do Rota 2030
Foto Jornalista  André Barros

Por André Barros

CompartilheRota 2030
16/12/2019

São Paulo – Uma das instituições credenciadas para coordenar os PPPs, Programas e Projetos Prioritários, definidos pelo comitê gestor do Rota 2030 pediu ao Ministério da Economia para não mais fazer parte do programa. O BNDES, agora, se concentrará em outras atividades, mirando as micro, pequenas e médias empresas.

 

Em setembro o ministério divulgou o nome de cinco instituições responsáveis por administrar os recursos do regime tributário de autopeças – desde o começo do ano a tarifa de 2% de imposto de importação de componentes ex-tarifários, antes recolhida pelo governo, passou a ser depositada em um fundo controlado pelo comitê gestor do Rota 2030. Além do BNDES foram credenciados Embrapii, Finep, Fundep e Senai.

 

O banco de fomento era o responsável pela captação de recursos e pelo seu repasse, com taxas fixas, a universidades, institutos de pesquisa e pequenas e médias empresa para investimentos em Indústria 4.0, pesquisa e desenvolvimento e engenharia de produtos. Justificou seu descredenciamento, em nota, por passar por reestruturação interna e de enfoque:

 

“Para atender de forma mais eficiente ao interesse público, o BNDES vem reestruturando processos e trará melhorias para a experiência dos seus clientes, especialmente as micro, pequenas e médias empresas, que são o foco do programa em questão”.

 

Foto: Divulgação.