Imprevisível setor de máquinas: queda em 2019.

Imagem ilustrativa da notícia: Imprevisível setor de máquinas: queda em 2019.
Foto Jornalista  Caio Bednarski

Por Caio Bednarski

CompartilheBalanço da Anfavea
07/01/2020

São Paulo – A falta de previsibilidade dos recursos para financiamentos das vendas de máquinas agrícolas e rodoviárias foi o principal entrave ao longo do ano e fez com que o segmento registrasse queda de 8,4% na comparação com 2018, com 43 mil 735 unidades comercializadas. Alfredo Miguel Neto, vice-presidente da Anfavea, disse na terça-feira, 7, que os agricultores precisam de previsibilidade para planejar suas compras e investimentos:

 

“O que o setor precisa é de um Plano Safra com recursos suficientes para todo o período, porque todo ano temos esse problema e faltam recursos para financiar as vendas. A clareza sobre o crédito disponível para os produtores se faz cada vez mais necessária, e o ideal seria que o planejamento para o Plano Safra fosse plurianual”.

 

Em dezembro as vendas somaram 3 mil 330 máquinas, queda de 24,4% ante igual período de 2018, causada exatamente pela falta de previsibilidade que afetou o setor ao longo de todo o ano. Na comparação com o mês anterior a retração foi menor, 0,8%, porque em novembro o setor já sofria com a falta de recursos para os financiamentos.

 

A produção chegou a 65 mil 656 unidades em 2019, recuo de 19,1% na comparação com 2018, por causa do menor consumo interno. Em dezembro saíram das linhas de produção 2 mil 282 máquinas, volume 58,8% menor com relação ao mesmo mês de 2018 e, segundo Luiz Carlos Moraes, presidente da Anfavea, a queda em dezembro aconteceu porque algumas empresas paralisaram a produção para ajustar seus estoques.

 

As exportações garantiram pelo menos uma notícia boa para o setor em 2019, com crescimento de 1,5% na comparação com 2018 e 12 mil 870 unidades vendidas para outros países. Segundo o presidente da Anfavea o setor sofre menos do que o de automóveis porque depende menos da Argentina e tem outros mercados importantes, como os Estados Unidos.

 

Projeções 2020 – Mesmo com a queda em 2019 a Anfavea projeta alta para o setor de máquinas em 2020, puxada pelo crescimento das máquinas rodoviárias que serão usadas em obras de infraestrutura, segundo Moraes. Para as vendas a entidade projeta crescimento de 2,9%, chegando a 45 mil unidades e a produção deverá crescer 5,4%, com 56 mil máquinas fabricadas. O menor crescimento será registrado pelas exportações, que deverão crescer 1% no ano que vem.

 

Fotos: Divulgação.