Mexicano Kia Rio chega ao Brasil

Imagem ilustrativa da notícia: Mexicano Kia Rio chega ao Brasil
Foto Jornalista  André Barros

Por André Barros

CompartilheLançamento
28/01/2020

Guarulhos, SP – A Kia começou, enfim, a importar o hatch Rio para o mercado brasileiro. Foram anos de promessa de um carro que chegou a, mais de uma vez, ser uma das atrações da marca representada por José Luiz Gandini no Salão do Automóvel de São Paulo, até a equação fazer sentido: fabricado em Monterrey, México, chega sem imposto de importação graças ao acordo de livre-comércio dos dois países, por R$ 69 mil 990.

 

Até Gandini admite que o preço ficou um pouco elevado para um hatch, segmento extremamente competitivo do mercado brasileiro mas, ao mesmo tempo, volumoso. No ano passado representou 27,8% das vendas locais, nas contas da montadora, ou 740 mil unidades.

 

Por causa do preço do dólar, que começa o ano flutuando pelos R$ 4,20, o Rio precisou ser exposto nas prateleiras mais elevadas do segmento e competirá com 17% deste volume, na faixa dos modelos acima de R$ 65 mil. Tem companhia consagrada: Chevrolet Onix, Citroën C3, Fiat Argo, Peugeot 208 – que terá nova geração nos próximos meses –, Volkswagen Polo e Hyundai HB20, com quem compartilha o motor 1.6 flex de 130 cavalos.

 

Não devemos esperar, portanto, invasão do Kia Rio do Leme ao Pontal, segundo o diretor de vendas Ary Jorge Ribeiro: “Nosso objetivo é alcançar 2% dessa faixa dos hatches acima de R$ 65 mil, ou 2,4 mil unidades este ano”.

 

Para convencer o consumidor a escolher o modelo Kia dentre tantas opções a empresa aposta na qualidade, e oferece cinco anos de garantia para justificar, e no prazer de dirigir: “Vamos trazer o público para a concessionária fazer o teste drive”.

 

Imagem ilustrativa da notícia: Mexicano Kia Rio chega ao Brasil

 

Este consumidor terá à sua disposição câmbio automático acoplado ao motor flex, controles de estabilidade, de tração, de frenagem em curva, de gerenciamento de estabilidade e sensor de monitoramento da pressão dos pneus – respectivamente ESC, TCS, CBC, VSM e TPMS. A central multimídia com bluetooth e compatibilidade com Android Auto e Apple CarPlay não ficou de fora, bem como câmara de ré e sensor crepuscular na versão LX, a mais barata.

 

A EX, que sai por R$ 77 mil 990, agrega ainda ar-condicionado digital, bancos e volante em couro e entradas USB no banco traseiro, dentre outras alterações visuais mais requintadas.

 

Mesmo após tanta espera o Rio que chega ao Brasil não tem catálogo definitivo. Segundo Gandini as exigências do consumidor podem acrescentar, retirar ou modificar itens das versões, que podem até ser ampliadas. O humor da moeda estadunidense também mexeria com o planejamento. O empresário confessa: “Quando tomamos a decisão de importar, no ano passado, o dólar estava a R$ 3,75”.

 

Foto: Divulgação.