Randon aumenta produtividade em 30%

Imagem ilustrativa da notícia: Randon aumenta produtividade em 30%
Foto Jornalista Redação AutoData

Por Redação AutoData

CompartilheEmpresa
29/01/2020

São Paulo – Sem ampliar a área construída da fábrica instalada no bairro de Interlagos, em Caxias do Sul, RS, a Randon conseguiu aumentar a sua capacidade produtiva e a sua produtividade. Ao adotar recursos e conceitos da Indústria 4.0 a companhia passa a produzir 130 implementos/dia ante os cem que representavam o teto anterior – somadas, aí, todas as unidades produtivas no País.

 

Todas as mudanças, destaca a Randon, foram promovidas sem reduzir o quadro de funcionários: “As pessoas passarão a executar tarefas mais nobres, com maior qualificação, mais produtividade e menores riscos”, disse Sandro Trentin, diretor de inovação e tecnologia. “Queremos fazer mais com a mesma equipe, sem perder ninguém. Este é o objetivo”.

 

A grande inovação, assim considerada pela Randon, foi apresentada na terça-feira, 28 na fábrica caxiense: o sistema de armazenamento automático e corte integrado de chapas de aço: “No mesmo espaço físico de antes contamos agora com um sistema que nos torna três vezes mais rápidos”, disse, em nota, o COO da divisão montadora, Alexandre Gazzi. “E ainda deixamos mais área livre para futuras ampliações”.

 

O projeto é um dos principais dentro do plano global de ampliação de capacidade da Randon Implementos iniciado em 2018 e que será concluído este ano. Somente na estamparia o investimento alcança R$ 30 milhões. Um novo sistema de pintura de peças também foi incorporado.

 

A reorganização da fábrica de Interlagos resultou em arranjo aprimorado e mais funcional. Priorizou-se o fluxo produtivo – a projeção é a de que 90% da produção passará pelo novo sistema. O novo armazém oferece 815 posições de estocagem e mais dezessete estações de processamento, com capacidade de trabalho que chega a 280 toneladas por dia.

 

Quatro novas máquinas de corte a laser com fibra ótica entraram em operação – mais uma deverá chegar durante o ano. No geral foram reduzidas as máquinas de 51 para 28 e, com a nova tecnologia, os novos equipamentos a laser deverão operar com média superior a 85% de eficiência.

 

Foto: João Lazzarotto/Divulgação.