Produção de carrocerias de ônibus cresce 8,7%

Imagem ilustrativa da notícia: Produção de carrocerias de ônibus cresce 8,7%
CompartilheÔnibus
12/02/2020

Caxias do Sul, RS -- A produção nacional de carrocerias de ônibus aumentou 8,7% no ano passado com relação a 2018, totalizando 22 mil 197 unidades. O resultado positivo deve-se, exclusivamente, ao crescimento do mercado interno, 17 mil 910 entregas. As exportações caíram 31%, para 4 mil 287 unidades, tendo como causa principal a redução de vendas para Argentina e Chile.

 

Os dados referem-se ao desempenho das sete empresas ligadas à Fabus, Associação Nacional dos Fabricantes de Ônibus. É o quarto incremento seguido na produção, considerando como pior momento 2016, quando o volume caiu a 14 mil 111 carrocerias. Para efeitos de comparação em 2011 o setor superou a barreira de 35 mil entregas.

 

O segmento de urbanos, com avanço de 29,5%, para 12 mil 817 unidades, e participação de 57,7% no total, foi o que impulsionou as vendas do ano. Os demais apresentaram quedas. Em rodoviários a baixa foi de 1,5%, para 4 mil 777 unidades, nos modelos intermunicipais a variação foi de 14%, para 893 carrocerias, e em micro-ônibus chegou a 20%, com 3 mil 710 unidades.

 

Com o significativo volume produzido de urbanos a Caio Induscar, de Botucatu, SP, obteve o melhor desempenho do ano, alta de 30%, e 7 mil 664 unidades. A empresa participou com 56% no segmento de urbanos, 7 mil 187 carrocerias.

 

A Marcopolo, de Caxias do Sul, RS, absorveu 65% das vendas de rodoviários, com 3 mil 93 carrocerias. Liderou também o segmento de intermunicipais, com 70%. No total produziu 5 mil 584 carrocerias, recuo de 3,5%.

 

A Marcopolo Rio, que somente produziu urbanos, somou 3 mil 416 unidades, decréscimo de 7%. A Neobus, outra integrante do Grupo Marcopolo, teve declínio de 12%, para 1 mil 761 carrocerias, mas foi líder em micro-ônibus, com 31%. Este segmento foi ainda fortemente disputado pela Mascarello, de Cascavel, PR, com 28,5%, e produção de 1 mil 56 unidades, e Marcopolo, com 27% e pouco mais de 1 mil. No total a fabricante paranaense produziu 1 mil 945 carrocerias, recuo de 4,5%.

 

A Comil, de Erechim, RS, respondeu pelo segundo maior volume de rodoviários, com 789 unidades. No total chegou a 1 mil 250 carrocerias, alta de 13%. A Irizar, também de Botucatu, apurou 577 entregas, todas de rodoviários, com elevação de 7%.

 

No mercado externo a liderança foi da Marcopolo, com 50% do total, e queda de 10,5%.  Somente a Irizar elevou as vendas, em 5%, para 551 carrocerias. As demais empresas tiveram variações negativas de 7% a 70%.

 

Foto: Divulgação.