Pandemia derruba vendas da Bosch

Imagem ilustrativa da notícia: Pandemia derruba vendas da Bosch
Foto Jornalista Redação AutoData

Por Redação AutoData

CompartilheBalanço
02/06/2020

São Paulo – A pandemia da covid-19 interrompeu o início de ano promissor do Grupo Bosch na América Latina. As vendas do primeiro quadrimestre ficaram abaixo das registradas no mesmo período do ano passado, divulgou a empresa em comunicado sem fornecer outros pormenores – e seu presidente, Besaliel Botelho, evitou fazer projeções para os negócios no ano:

 

“Estamos vivendo uma crise sem precedentes que, apesar de ser uma questão de origem sanitária e não de mercado, tem impactado fortemente os negócios da empresa na região. A partir de agora teremos um novo normal que exigirá a revisão de alguns conceitos mercadológicos por todos os setores industriais, especialmente o automotivo”.

 

No ano passado a Bosch conseguiu empatar as vendas com 2018, segundo Botelho. O faturamento na região alcançou R$ 6,5 bilhões, com o Brasil respondendo por 80% do volume, R$ 5,2 bilhões, dos quais 27% gerados por exportações: “Com certeza a nossa ampla diversidade de negócios nos setores da mobilidade, bens de consumo, industrial, energia, tecnologia predial, agronegócios e mineração contribuíram para esse resultado”.

 

A companhia avança, principalmente, no agronegócio, mineração, Indústria 4.0 e gestão e monitoramento de frotas. Segundo o presidente Botelho a digitalização, a conectividade e o big data são a base futura dos novos modelos de negócio e, por isso, os desenvolvimentos da Bosch miram essa tendência.

 

No âmbito global a diretoria da Bosch admitiu ser difícil equilibrar os resultados deste ano com os de 2019. Mas as metas de ação climática deverão ser alcançadas – em 2020 a Bosch tem como objetivo a neutralidade de carbono nas suas quatrocentas unidades em todo o mundo.

 

Covid-19 – A Bosch pretende produzir mais de 1 milhão de testes rápidos da covid-19 e triplicar este volume no ano que vem. Essa é a maior contribuição, em nível global, da companhia, que por aqui colabora com a impressão em 3D de face shields e na montagem de subconjuntos usados em respiradores pulmonares, para acelerar a produção do equipamento.

 

Foto: Divulgação.