Veículos
04/09/2017

Vendas na Colômbia seguem abaixo de 2016

Imagem ilustrativa da notícia: Vendas na Colômbia seguem abaixo de 2016
Foto Jornalista  Bruno de Oliveira

Bruno de Oliveira

Visto como um mercado em ascensão na América Latina, sobretudo após anúncio do acordo bilateral com o Brasil que também diz respeito às exportações de veículos, a Colômbia apresenta um perfil de vendas abaixo dos volumes comercializados no ano passado. De janeiro a agosto deste ano foram emplacados no país vizinho 152 mil 651 automóveis, 2,9% menos do que o volume de licenciamentos verificado no mesmo período no ano passado.

 

Segundo a Andemos, a associação das montadoras que atuam no país, a desaceleração do mercado colombiano está sujeita a diferentes fatores, principalmente à queda do PIB nacional, à alta do dólar e consequente falta de confiança do consumidor. Embora o mês passado tenha sido o segundo melhor do ano nas vendas com 20 mil 925 unidades – março fechou com 21 mil 49 unidades – o volume foi 6,8% menor do que as vendas feitas em agosto do ano passado.

 

Para Antônio Jorge Martins, especialista em gestão da cadeia automotiva da Fundação Getúlio Vargas, o momento pelo qual está passando o setor automobilístico da Colômbia é similar ao quadro brasileiro há alguns anos no que diz respeito ao consumo: “Pesa contra a Colômbia, entretanto, o fato de não ter fábricas e, por conta disso, não contar com capacidade de exportação, fator que ajudou as empresas daqui a se manterem produtivas”.

 

Martins acredita que o mercado colombiano deverá superar algumas barreiras para atender às expectativas que muitas empresas, principalmente as brasileiras, depositam no país: “Mesmo com o mercado em baixa, não foram interrompidos os investimentos no mercado vizinho, pelo contrário, é comum observarmos empresas anunciando expansão na Colômbia. O governo local precisa, no entanto, resgatar a confiança do consumidor e aquecer a economia”.

 

A Chevrolet segue como líder de venda na Colômbia com 33 mil 647 automóveis emplacados de janeiro a agosto, um volume 12,5% menor que o verificado nos oito meses do ano passado. A Renault foi a segunda empresa que mais vendeu carros no país, 30 mil 945 unidades, menos 2,1% que de janeiro a agosto de 2016. A Nissan, terceira em vendas com 13 mil 394 carros emplacados, apresentou crescimento no volume de licenciamentos, 23,6% na comparação com o desempenho dos oito meses do ano passado.

 

Foto: Divulgação