Scania aumenta gama de motores

Imagem ilustrativa da notícia: Scania aumenta gama de motores

A Scania produzirá dois novos motores na fábrica de São Bernardo do Campo, SP, que fazem parte da gama de 13 litros e serão aplicados nos modelos de caminhões rodoviários da linha R. Para a empresa, representa a entrada no universo dos motores compactos potentes, o downsizing, conceito que ganhou popularidade recentemente no segmento de automóveis 1.0.

 

Os motores Euro 5 de 450 e 510 cavalos da Scania são menores que os demais da gama de 13 litros e consomem 5% menos óleo diesel. Da mesma forma que nos carros, o ganho de potência com menos combustível foi possível por meio de alterações na turbina e no sistema de injeção. A matéria-prima do bloco do motor, menor, precisou ser reforçada com um composto de ferro e grafite, chamado CGI.

 

Para Eronildo Santos, diretor de desenvolvimento de negócios, trazer o componente ao Brasil – o motor foi desenvolvido na Suécia e já integra a oferta da empresa na Europa – se deu em função de uma demanda verificada em alguns segmentos, como cargas refrigeradas, cegonha, container e graneleiro: “São setores que voltaram a apresentar movimentação do ponto de vista dos negócios, mas, ao mesmo tempo, são empresas que precisam de alternativas para reduzir custo operacional para voltarem a crescer”.

 

A nacionalização dos motores demandou um novo projeto de turbina, que será fornecida pela Cummins do Brasil. Marcel Prado, gerente de pré-vendas, disse que o novo componente, responsável por aumentar a potência dos motores, sofreu modificações para se adequar ao clima brasileiro, diferente do europeu: “O ar daqui é mais quente, e isso nos obrigou a modificar a turbina em busca de um melhor desempenho”. Foi aumentada a pressão da injeção de combustível no novo sistema, que também faz a injeção em múltiplos pontos: “Em motores a diesel, a eficiência se dá com o aumento do volume de combustível na câmara de compressão”.

 

Motores compactos deverão ser a tônica na oferta da Scania no País. Há planos de promover alterações nos projetos de motores de outras linhas em busca de redução de consumo e maiores potências. “Queremos aumentar a oferta em fatias de aplicação que demandam potência acima dos 500 cavalos. Os produtos já existem lá fora, mas aguardaremos a evolução do mercado para nacionalizar a produção no momento oportuno”, completou Santos.

 

As linhas da fábrica de motores da Scania iniciarão a produção das duas versões em fevereiro de 2018. No entanto, a empresa iniciará as vendas dos caminhões R 450 e R 510, com a nova motorização, na edição da Fenatran deste ano, evento que acontecerá em outubro.

 

Foto:Divulgação