R$ 2,6 bi em uma nova VW

Imagem ilustrativa da notícia: R$ 2,6 bi em uma nova VW
CompartilheLançamento
26/09/2017

O novo Polo chegou para, segundo a Volkswagen, revolucionar os hatches premium. Seus atributos, de fato, elevam o padrão do segmento, oferecendo mais segurança, tecnologia, desempenho e conectividade. A missão desse novo modelo, porém, é ainda maior: representa uma guinada no rumo da companhia no País, uma reestruturação profunda não apenas no que diz respeito à fabricação do veículo na unidade Anchieta, em São Bernardo do Campo, SP, mas na sua cultura, no seu relacionamento com a rede de concessionários e muito mais, como contou David Powels, presidente e CEO da Volkswagen do Brasil e América do Sul:

 

“A Volkswagen está se reinventando com diversas ações que construirão esta nova marca, com uma nova mentalidade, com muito mais energia e ainda mais alinhada com as expectativas dos nossos clientes”.

 

Os R$ 2,6 bilhões de um pacote de investimentos total de R$ 7 bilhões até 2020 trouxe inovações em todas as etapas produtivas e no próprio Polo nacional, que se diferencia do recém-lançado Polo europeu nos alguns aspectos: adaptações nas motorizações para atender normas e combustíveis locais, desenvolvimento da suspensão, que ficou 20 mm mais alta do que o modelo europeu para suportar as condições de ruas e estradas brasileiras com maior conforto e segurança, design frontal exclusivo, resultado de clínicas realizadas com clientes brasileiros.

 

A produção do novo modelo, assim como sua versão sedã, o Virtus, que deverá ser apresentado no primeiro trimestre de 2018, é quase toda nova na quase sessentona fábrica Anchieta: a estamparia recebeu 214 novas ferramentas, a armação, onde as peças são unidas, formando as carrocerias, ganhou 373 robôs de última geração, mais rápidos, precisos e eficientes, assim como equipamentos de solda a laser, que fazem a união das peças por meio de um feixe de luz, a pintura foi reprogramada e customizada para receber as novas cores dos veículos, além de um equipamento de aplicação de cera nas cavidades, garantindo proteção extra contra corrosão, na montagem final, onde o carro recebe todos os componentes mecânicos e elétricos, foi instalado um novo Fahrwerk – onde é feita a união da parte motriz do veículo [motor, transmissão e suspensão] com a carroceria.

 

O investimento também abrange uma completa modernização na área de planejamento, infraestrutura, TI e logística, com foco na aplicação de inovações da indústria 4.0, segundo a VW.

 

Todo esse aparato recebe a plataforma modular MQB, base do novo Polo e de quatro modelos inéditos que serão produzidos na América do Sul nos próximos anos. “Teremos vinte lançamentos na região até 2020, alguns deles inéditos”.

 

Novo Polo – O hatch premium da VW chega com um pacote de soluções para não deixar dúvidas de que esse é o marco de um novo tempo na companhia. 50% da sua carroceria é feita de aços especiais, de alta e ultra-alta resistência e conformados a quente. O design frontal e algumas peças, como o capô, foram pensados para diminuir os danos em um atropelamento. São quatro air bags de série para todas as versões. Resultado: durante a apresentação do novo Polo a LatinNCAP enviou a confirmação de que o modelo recebeu cinco estrelas, a nota máxima, para adultos e crianças.

 

Por causa da plataforma MQB o novo Polo é 167 mm mais comprido, tem 100 mm a mais de entre-eixos e é 100 mm mais largo comparado à antiga geração. Portanto oferece maior espaço interno e conforto, muito semelhante ao irmão maior e consagrado, o Golf. Ele também é mais leve, e a diferença chega a 44 kg no caso das versões com motor 1.6.

 

Ainda graças à plataforma modular, que possibilitou a configuração de diversos itens eletrônicos de segurança ativa e passiva, o Novo Polo oferece em algumas versões o controle eletrônico de estabilidade, o bloqueio eletrônico do diferencial e novidades exclusivas no segmento, como o sistema de frenagem pós-colisão [aciona automaticamente os freios em uma batida] e a limpeza automática dos discos de freio, garantindo um menor espaço na frenagem, segundo a VW.

 

No interior a principal novidade será exclusividade apenas da versão topo de linha, a Highline 200 TSI: a segunda geração do Active Info Display, o quadro de instrumentos na frente do motorista totalmente digital, com as diversas informações projetadas em uma tela de 10,25 polegadas, do tamanho de um tablet. O Novo Polo é o primeiro Volkswagen a trazer esse recurso, que também projeta as informações do sistema de navegação em 2D ou 3D.

 

Por fora, além do design frontal ter sido desenvolvido para o mercado brasileiro, mais agressiva do que a versão europeia, segundo a VW, há mais do mesmo dos outros modelos da marca. Uma pessoa desatenta, ou que não preste atenção aos pormenores, como  a linha de cintura mais saliente, pode confundir o Polo com um Golf ou um Gol.

 

O Novo Polo foi lançado no Brasil praticamente de forma simultânea com a Alemanha. A partir de hoje está na internet uma campanha de pré-venda, com os preços divulgados na noite da segunda-feira por esta Agência AutoData de Notícias. Às 10 h 00 da terça-feira cem unidades já tinham sido encomendadas. O modelo começa a ser vendido em novembro nas mais de quinhentas concessionárias Volkswagen no Brasil com três opções de motores e duas de transmissão. São quatro versões: Polo, Polo MSI, Polo Comfortline 200 TSI e Polo Highline 200 TSI.

 

David Powels se declarou muito entusiasmado pela missão cumprida com Polo e, já, já, Virtus: “A Volkswagen do Brasil está se preparando para a maior ofensiva de produtos em sua história e trabalha no sentido de ser mais rápida, mais enxuta e mais eficiente. Até 2025 voltaremos a ser líderes”.

 

Fotos: Divulgação