PCL terá fábrica aqui para atender GM

Imagem ilustrativa da notícia: PCL terá fábrica aqui para atender GM

A fabricante de autopeças PCL, de capital indiano, confirmou investimento de R$ 96 milhões em fábrica localizada em Santa Gertrudes, SP, na Região Piracicaba-Campinas. Essa unidade, a primeira da PCL na América Latina, está sendo construída para atender à demanda da General Motors por nacionalização de comandos de válvulas para novo projeto destinado à sua fábrica de motores de Joinville, SC.

 

A produção será instalada em terreno de 6,5 mil m² de área construída, onde 250 funcionários atuarão nas linhas do componente exclusivo para a GM. Segundo Sílvia Richieri, executiva que representa a PCL no País e que foi a responsável por articular sua instalação, já foi iniciado o processo de contratação, embora seja aplicado um escalonamento para que o quadro esteja completo até 2022.

 

Desde dezembro, quando foi definida a escolha pela cidade do Interior paulista, a construção da fábrica segue em ritmo acelerado para atender ao cronograma de produção, que estipula início das operações no fim deste ano. O contrato de fornecimento do componente à GM tem validade até 2028. As contratações já estão sendo feitas e a diretoria da empresa será composta por profissionais brasileiros.

 

O aporte de R$ 96 milhões, cerca de US$ 30 milhões, em parte tem como origem recursos próprios da companhia e 30% financiados por um banco da Índia. A empresa, fundada em 1992, se especializou na fabricação de comando de válculas e cresceu com a participação acionária de um grupo britânico e duas joint-ventures na China. Suas operações são realizadas em dez fábricas no total: oito na Índia e duas na China.

 

Antes de se decidir por Santa Gertrudes a representante da PCL prospectou outras cidades em São Paulo, ainda que a produção seja voltada para abastecer uma fábrica instalada em Santa Catarina: “Conversei com representantes de dez municípios avaliando as condições fiscais, mão de obra local e terrenos. Santa Gertrudes ofereceu as melhores condições”.

 

A executiva citou Lençóis Paulista, Tatuí, Jundiaí e Mococa como exemplos de onde fez pesquisas.

 

Ainda que a demanda da GM tenha motivado sua instalação no País a empresa tem planos de prospectar outros clientes por aqui. Santa Gertrudes é próxima de Campinas, Piracicaba e Rio Claro, onde uma série de empresas do setor automotivo mantém produção, como é o caso da Honda, Mercedes-Benz e Toyota, por exemplo. Estas empresas, inclusive, são clientes da PCL fora daqui.

 

A fábrica de blocos, motores e cabeçotes da General Motors que será atendida pela PCL, instalada em Joinville, passará por processo de expansão nos próximos anos. Em fevereiro a montadora anunciou investimento de R$ 1,9 bilhão para ampliar de três para nove o número de linhas de produção. Com isso a área construída aumentará dos 15 mil m² atuais para 62 mil m². O número de funcionários também será maior: passará de 230 para 420 até 2021.

 

A GM prepara a unidade para que a produção de motores acompanhe o crescimento que a empresa tem registrado nos volumes de vendas. Afora isso deve produzir, a partir do ano que vem, novos modelos nas unidades de Gravataí, RS, São Caetano do Sul, SP, e São José dos Campos, SP.

 

Foto: Divulgação.