Geely é a maior acionista individual da Daimler. Berlim está alerta.

Imagem ilustrativa da notícia: Geely é a maior acionista individual da Daimler. Berlim está alerta.

A Daimler anunciou, na sexta-feira, 23, por meio de comunicado, que o investidor Li Shufu, dono do Grupo Geely, adquiriu 9,69% de participação no capital da empresa e, com isso, tornou-se o seu maior acionista individual. A Daimler controla a Mercedes-Benz.

 

Com o negócio o bilionário chinês supera um fundo público do Kuwait, que agora detém a segunda maior fatia da Daimler, 6,8%, e também os 3,1% da Renault Nissan. A transação foi avaliada em € 7,2 bilhões, segundo comunicado da Bolsa de Frankfurt.

 

Em 2010 o investidor de 54 anos e dono da avaliada décima maior fortuna da China, segundo a revista Forbes, comprou a Volvo Cars, que estava sob o controle da Ford. O Grupo Geely, fundado em 1997, também controla uma holding que fabrica veículos usados no sistema de táxis de Londres.

 

No caso da Daimler os planos iniciais são de "cooperar com o desenvolvimento de veículos elétricos". Em declaração emitida pela Geely Li Shufu disse que queria "acompanhar a Daimler no caminho para se tornar o principal fornecedor mundial de eletro-mobilidade" e que estava procurando um compromisso de longo prazo.

 

O negócio, contudo, deixou o governo alemão em estado de alerta. Foi emitido um comunicado que adverte que o acordo não pode ser usado como um “portal” para os interesses da política industrial chinesa.

 

O governo alemão disse, também, que não bloquearia o investimento, mas a ministra da Economia, Brigitte Zypries, contou que deverá "manter um olhar especialmente atento". A ministra disse que a Alemanha é "uma economia aberta que acolhe investimentos desde que aconteçam de acordo com o mercado".

 

No Brasil a Geely é representada pela Gandini Participações, do empresária José Luiz Gandini, desde junho de 2011. Em 2013 o empresa anunciou a constituição da Geely Motors do Brasil, cujo início de operações se deu em janeiro de 2014. O primeiro automóvel comercializado no País foi o sedã médio EC7, chegando depois o hatch GC2. Ambos os modelos vêm da nova linha de montagem instalada em Montevidéu, Uruguai.

 

Rival – No fim de semana que se seguiu ao anúncio de venda de participação à Geely, a Daimler informou ao mercado que investirá US$ 1,9 bilhão em uma parceria costurada com a rival da Geely na China, a BAIC, visando à modernização de unidade BAIC para a produção de carros Mercedes-Benz, incluindo veículos elétricos.

 

Daimler e BAIC formam uma joint venture desde 2013.

 

Foto: Divulgação.