Venda de caminhões retoma nível de 2015

Imagem ilustrativa da notícia: Venda de caminhões retoma nível de 2015
CompartilheBalanço da Anfavea
07/05/2018

O mercado de caminhões manteve o ritmo de crescimento visto no primeiro trimestre e chega a abril com alta nas vendas internas. Segundo balanço da Anfavea, divulgado na segunda-feira, 7, foram vendidos no acumulado do ano 20 mil 697 unidades, 57,6% a mais do que em idêntico período do ano passado. Os pesados puxaram as vendas e representaram, no total do período, fatia de 45% dos licenciamentos.

 

Ainda que 2017 seja considerada uma base de comparação baixa, as empresas fabricantes seguem confiantes de que o desempenho represente, de fato, a retomada. De acordo com Luiz Carlos Gomes de Moraes, vice-presidente da Anfavea, o desafio a ser enfrentado pela indústria no ano "é manter a perspectiva de crescimento frente a alguns obstáculos que virão":

 

“O crédito bancário ainda está restrito e inibe a renovação de frota. E o reajuste do diesel também é algo que preocupa o setor”.

 

A Anfavea projetou para o ano crescimento de 24,7% nas vendas de veículos pesados frente a 2017. Há empresas, mais otimistas, que já sinalizaram alta um pouco maior, 30%, cenário que acreditam ser possível por eventuais compras feitas em função da demanda por transportes de grãos e de minérios.

 

As vendas de caminhões pesados chegaram a 9 mil 298 unidades, 98,7% a mais do que o volume vendido no mesmo quadrimestre do ano passado. A Mercedes-Benz foi a fabricante que registrou o maior volume vendido, 2 mil 780 unidades, mais do que o dobro daquilo que foi vendido em igual quadrimestre de 2017, 1 mil 192.

 

Assim como ocorreu no ano passado a concorrência permanece acirrada no segmento de pesados. Depois da Mercedes-Benz a empresa que mais vendeu no quadrimestre foi a Volvo, com 2 mil 429 unidades, 92,6% a mais. Na sequência as perseguem a Scania, com 2 mil 245 unidades, crescimento de 88,3%.

 

Nos semipesados, até abril, foram vendidas 4 mil 627 unidades, crescimento de 38,4% em mercado liderado pela MAN Latin America. Nos caminhões leves foram 3 mil 743 unidades emplacadas e crescimento de 22,6% ante o mesmo quadrimestre do ano passado. Neste nicho a MAN também foi a empresa que registrou maior volume de vendas frente à concorrência, influência direta do desempenho comercial da nova família Delivery.

 

Antônio Megale, presidente da Anfavea, disse que a capacidade ociosa do setor ainda é alta apesar do aumento das vendas frente o ano passado, coisa de 70%: “A produção ainda é dependente da demanda das exportações, nas quais a indústria está indo muito bem. Mas há mais espaço para ocupar nas fábricas e, nesse sentido, a produção do setor de caminhões ainda puxa a produção de toda a indústria para baixo”.

 

Até abril saíram das linhas instaladas no País 33 mil 529 caminhões, volume que representou crescimento de 54,9% ante o mesmo período de 2017. Cenário similar vivem as vendas de ônibus: de janeiro a abril foram fabricadas 10 mil 186 unidades, alta de 81,7%.

 

Foram exportadas, no primeiro quadrimestre do ano, 10 mil 67 unidades de caminhões, 21% a mais do que no janeiro-abril de 2017. Os embarques de ônibus foram 3 mil 236 unidades no mesmo período, o que significou crescimento de 47,6%.

 

Foto: Divulgação.