Recuperação de caminhões tempera resultado da Tupy

Imagem ilustrativa da notícia: Recuperação de caminhões tempera resultado da Tupy
CompartilheAutopeças
09/05/2018

A recuperação da indústria brasileira de caminhões e ônibus -- que cresceu 55% e 67%, respectivamente, no primeiro trimestre na comparação com o mesmo período de 2017 -- ajudou a Tupy, tradicional fabricante de blocos e cabeçotes para motores diesel e outras peças automotivas, com sede em Joinville, SC, a superar pela primeira vez o valor de R$ 1 bilhão em receita em um único trimestre.

 

De janeiro a março seu faturamento cresceu 23,9% sobre igual período do ano passado, somando R$ 1 bilhão 59 milhões. Segundo a empresa os fatores que contribuíram para esse resultado foram o aumento no volume de vendas, o repasse de custos, a melhoria do mix de produtos e a depreciação cambial.

 

A fatia dessa receita que vem do mercado interno de veículos comerciais apresentou alta de 73,5%, de acordo com o presidente da Tupy, Fernando de Rizzo, puxada pelo próprio crescimento da indústria local: “As vendas para a indústria de caminhões e ônibus representaram 8,5% da nossa receita [no primeiro trimestre]”.

 

O executivo acredita que o mercado brasileiro passa por uma mudança de perfil, migrando para os pesados e extrapesados: “Esse fator fortalece a nossa carteira”.

 

Embora ainda seja relevante no faturamento a diversificação das operações que a Tupy promoveu nos últimos anos pulverizou as fontes de receitas. Além de veículos comerciais e automóveis de passageiros – setor no qual a Tupy cresceu muito especialmente no mercado externo, chegando a fornecer inclusive blocos para motores V8 –, a empresa trabalha em praticamente todos os setores em que há aplicação de motores diesel.

 

Rizzo colocou em destaque as demandas de máquinas agrícolas e de construção: “No primeiro trimestre fomos surpreendidos pelo aumento da demanda do setor de construção dos Estados Unidos. Fornecemos muitas peças para fabricantes de máquinas agrícolas, de mineração e para exploração em campos de petróleo e de gás no País”.

 

Segundo o presidente 64% do faturamento da Tupy vêm da América do Norte. A América do Sul representa 18% das vendas.

 

Mas é da indústria brasileira de caminhões que vem – e deverá continuar vindo – o crescimento mais forte da Tupy nos próximos trimestres. E Rizzo garantiu: está pronto para atender à demanda -- tanto que a companhia fez mais de quinhentas contratações este ano.

 

Foto: Divulgação.